segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Discurso de Salomão à Roboão seu filho




Meu filho Roboão: Como de todas as ciências outras não existem mais naturais nem mais úteis que o conhecimento dos movimentos celestes, creio do meu dever deixar-te, ao morrer, uma herança mais preciosa que todas as riquezas que tenho gozado, e para que saibas de que maneira cheguei a este grau, é mister que eu te diga que, estando uma vez, contemplando o poder do Ser Supremo, o anjo do Grande Deus apareceu diante de mim ao mesmo tempo que eu exclamava: 0 quam mirabiliam opera Dei! (Que admiráveis são as obras de Deus!) De repente, distingui, no fundo de uma área espessa de árvores, uma luz em forma de estrela ardente, que me disse, com uma voz retumbante: "Salomão! Salomão! Não te admires, o Senhor quer satisfazer tua curiosidade, dando-te conhecimento do que te for mais agradável, e eu te ordeno que peças o que desejas". Volvendo da surpresa em que me encontrava, respondi ao anjo que, rendendo-me à vontade do Senhor, não desejaria senão o dom da Sabedoria, e pela bondade do grande Deus, obtive por acréscimo o gozo de todos os tesouros celestes e o conhecimento de todas as coisas naturais. E' por isto, meu filho, que eu possuo todas as virtudes e riquezas que me vês gozar hoje, e por pouco que seja a atenção que prestes ao que te vou contar, asseguro-te que as graças do Grande Deus te serão familiares e que as criaturas celestes e terrestres te serão obedientes, ciência que só opera pela força e potência das coisas naturais e dos anjos puros que as governam, dos quais darei os nomes por ordem, suas faculdades e empregos particulares sobre o que presidem especialmente para que possas chegar a feliz termo no quer que seja que encontrares neste meu testamento, e eu te asseguro a vitória, uma vez que todas as obras sejam para honrar a Deus que me deu a força de dominar, não apenas as coisas terrestres, como também as celestes, isto é, os anjos, dos quais posso dispor como entender e obter deles serviços muito importantes.



É preciso primeiramente que saibas que Deus, tendo feito todas as coisas para lhe serem submetidas, quis levar suas obras até o grau mais perfeito, fazendo um trabalho que participa do divino e do terrestre, isto é, o homem cujo corpo é grosseiro e terrestre e a alma espiritual e celeste. Ao homem, ele submeteu toda a terra e seus habitantes e lhe deu meios pelos quais pudesse familiarizar-se com o trato dos anjos que eu chamo criaturas celestes, e que são destinados uns a povoar os elementos, outros a conduzir e ajudar os homens e outros a cantar continuamente louvores ao Senhor. Tu podes, com o auxílio de seus selos e caracteres, fazer com que te sejam familiares, contanto que não abuses desta faculdade, exigindo-lhes coisas que lhes são contrárias, porque maldito seja aquele que invocar o nome de Deus em vão e que empregar mal as ciências e os bens com que nos enriqueceu. Eu te ordeno, meu filho, que graves bem em tua memória tudo o que te digo para que nunca o esqueças, ou se não tiveres a intenção de fazer bom uso dos segredos que te ensino, eu te ordeno que lances este testamento ao fogo antes que pretendas abusar de poder que vais ter sobre os espíritos, pois, preciso é que saibas que estes anjos benfazejos, uma vez fatigados e cansados de teus propósitos ilícitos, poderiam, para desgraça tua, executar as ordens de Deus, da mesma forma que as de todos os mal intencionados que abusassem dos segredos que a Ele aprouve conceder-me e revelar-me. Não julgues, meu filho, que te não seja permitido gozar os bens e os prazeres que os espíritos divinos podem proporcionar-te; ao contrário, é para eles uma grande satisfação prestar serviços ao homem para o qual sentem muita inclinação e afinidade, destinados que são por Deus à conservação e direção das coisas terrestres que estão submetidas ao poder do homem.



Há diferentes classes de espíritos, segundo as coisas às quais eles presidem. Há os que presidem o céu empíreo; outros, o primeiro e segundo cristalino; outros, o céu estrelado; há também os do céu de Saturno, que eu denomino - saturnistas; há espíritos jupiterinos, marcianos, solares, venusinos, lunares e mercuriais; há-os também nos elementos, na região ígnea, outros no ar, outros na água e outros na terra, que todos podem ser úteis ao homem que tiver a felicidade de conhecê-los e de saber atraí-los. Quero ainda que saiba que Deus destinou a cada um, espírito que vela e zela pela nossa conservação; são chamados gênios e sua natureza é elementar como a nossa e são mais aptos a prestar serviços aqueles cujo temperamento está conforme com o elemento em que o gênio habita; assim é que, se, por exemplo, tens um temperamento ígneo, isto é sanguíneo, teu gênio é ígneo e submetido ao império de Bael. Deveis saber que há tempos reservados para a invocação destes espíritos, dias e horas nos quais têm forças e um poder absoluto, e eis porque verás no quadro que vai mais adiante, a qual planeta e a qual anjo pertence, cada dia e cada hora, o conjunto de cores que lhe correspondem os metais, as ervas, plantas, animais aquáticos, aéreos e terrestres e o incenso que lhes convém, assim como em que parte do mundo devem ser invocados, sem omitir as conjurações, selos, caracteres e letras divinas que lhes convém, pelas quais se recebe o poder se simpatizar com os espíritos.

Texto retirado do CD "Artes Mágickas de Conjurar"

Nenhum comentário: