quinta-feira, 30 de setembro de 2010

O Círculo Mágicko

A Fogueira das Vaidades

O ritual da Fogueira das Vaidades é muito simples e deve ser feito num local tranqüilo, à luz do dia, do lado de fora de sua casa, sob o sol. O melhor horário é sempre o do meio-dia, mas há feitiços específicos que recomendam o nascer ou o pôr do sol como melhores horários.

Para esse ritual, você precisa de uma mesa de madeira maciça ou um tronco onde apoiar um alguidar de barro. Ali dentro você colocará três pedaços uniformes de carvão e ateará fogo. A maneira mais fácil de atear fogo é fazer um bolinho com papel absorvente e impregná-lo com óleo de oliva ou outro óleo perfumado. Acomodar os carvões ao redor do papel e atear fogo.

É preciso iniciar isso uma hora antes do ritual, para que no momento do ritual, o carvão já tenha se transformado totalmente em brasa. Como o agente catalisador desses feitiços é uma carta de baralho, no naipe apropriado, é preciso que haja bastante calor para que em poucos instantes a carta se consuma em chamas.

Um defumador será usado e você pode fazê-lo em casa. A receita é simples: seque folhas de alecrim, arruda, hortelã, alfavaca, dinheiro em penca e cascas de laranja. Depois de secas, triturar e guardar num vidro de boca larga, com tampa.

Tudo pronto para o feitiço que pode ter um dos seguintes objetivos: positivas, quando feitas para você mesmo, ou positivas para uma terceira pessoa; negativas, feitas para você mesmo ou negativas, feitas para uma terceira pessoa. Nos exemplos a seguir você compreenderá isso.

 
PARA UM PROJETO IMEDIATO

Se você está iniciando um novo projeto, deve se prevenir de toda e qualquer possibilidade de vir a perder seu investimento ou se decepcionar com um resultado negativo ou mesmo um prejuízo.

Para se prevenir e fazer com que um projeto a ser iniciado tenha o destino que você deseja lhe dar, prepare a Fogueira das Vaidades no horário indicado para cada uma das opções a seguir.

Antes de atirar a carta ao fogo, diga o que espera conseguir com ela.

Não existe uma fórmula fixa para isso.

Seu - Positivo: para atrair o sucesso para o seu projeto, no momento em que nasce o sol, jogue uma carta de Copas sobre as brasas, com a estampa voltada para cima. Assim que ela começar a arder, jogue um pouco do defumador.
Outro - Positivo: se você faz o feitiço para que o projeto de uma terceira pessoa tenha sucesso, no mesmo horário acima, coloque uma carta de Ouros, procedendo conforme recomendado com o defumador.

Seu - Negativo: se o projeto que você tem em mente não deve dar certo, no momento do pôr-do-sol atire o defumador e, quando a fumaça subir, coloque uma carta de Paus sobre as brasas, com a estampa voltada para baixo.
Outro - Negativo: se alguém vai dar início a um projeto e você quer que ele dê errado, proceda como acima recomendado, pondo sobre as brasas uma carta de Espadas, após ter depositado sobre elas o defumador.

PARA INJUSTIÇAS
Esse é o tipo de situação a que todos estamos sujeitos. Os ciganos têm um histórico muito sofrido de injustiças, principalmente em alguns períodos negros da História. Em relação às injustiças, você pode usar a Fogueira das Vaidades numa das situações abaixo, lembrando sempre que é importante dizer claramente o que se espera no momento de fazer o feitiço.
Combater - Contra você: se estão cometendo algum tipo de injustiça, prepare a Fogueira e, ao meio-dia, jogue uma Dama de Copas nas brasas, seguida de uma pitada do defumador.
Combater - Contra outro: se alguém está sofrendo uma injustiça e você quer ajudá-lo, faça como indicado acima, jogando uma Dama de Ouros.
Provocar - Contra você: às vezes, ser um mártir é uma estratégia interessante. Se é isso que você quer, ao nascer do sol jogue uma pitada de defumador e uma Dama de Paus, com a figura voltada para baixo, sobre as brasas.

Provocar - Contra outro: se você quer que alguém sofra uma injustiça, por algum motivo que não cabe aqui discutir, diga isso claramente no momento em que joga o defumador, repetindo depois, quando colocar a Dama de Espadas, com a figura para baixo, sobre as brasas.

PARA INGRATIDÕES
Fazer o bem e receber o mal em troca não é fácil de ser assimilado. Os ciganos costumam usar a expressão “é ter que engolir um sapo atravessado”.

Só que, da mesma forma como elas vêm, podem voltar. Basta recorrer à Fogueira para isso. No momento de usar a opção escolhida, mencione claramente o que espera obter, nomes, situações e tudo que possa orientar

melhor a direção a ser dada ao seu feitiço.

Contra você - Reverter: para devolver uma ingratidão aumentada, ao meio-dia coloque uma carta de Copas nas brasas, com a face voltada para

cima, pondo sobre ela uma pitada de defumador.

Contra outro - Reverter: se alguém sofreu uma ingratidão e você não quer deixar passar, tomando as dores dela, coloque uma carta de Ouros sobre as brasas, seguida do defumador.
PARA O AMOR

Os mais utilizados feitiços com a Fogueira das Vaidades são aqueles destinados a resolver as coisas do coração. São tantas as situações e igualmente numerosos os feitiços, tantos que seriam suficientes para preencher um livro inteiro.

Vejamos algumas possibilidades, não se esquecendo de que elas podem ser ampliadas, pois os princípios desses feitiços são muito simples. O importante é jamais deixar de citar o que se espera delas, antes de atirar a carta às chamas.

Para amar: se você quer amar uma pessoa, prepare a Fogueira no momento em que nasce o sol. Atire um Valete de Copas, com a face para cima, se você é um homem, ou uma Dama de Copas, se você é mulher. Logo em seguida atire uma pitada de defumador.
Para ser amado por alguém: quando você se apaixona por alguém, quer ser correspondido. Isso pode não acontecer, mas com este feitiço você resolverá o problema: no momento em que nasce o sol, jogue um Valete de Ouros, se é homem, ou uma Dama de Ouros, se é mulher, com a face para cima, seguido da pitada de defumador.

Para esquecer alguém: se você quer se esquecer definitivamente de alguém que o magoou no amor, prepare a Fogueira ao pôr-do-sol, coloque defumador e, em seguida, jogue um Valete de Paus, se a pessoa é um homem, ou uma Dama de Paus, se for uma mulher, com a estampa para baixo.

Para alguém esquecer você: se você quer que alguém o esqueça definitivamente, proceda como acima indicado, atirando um Valete ou uma Dama de Espadas, conforme for o caso.

Esta magia foi retirada do Curso de magia Cigana da E.I.E.

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

TPM -


Para as meninas que ainda sofrem com TPM, ansiedade, depressão e insonia.

Borago Officinalis - (Gamaline V - na farmácia) é usado para curar os sintomas da TPM, mas pode ser usado o mês todo se você tem sintomas de nervosismo, ansiedade e depressão.

Valeriana - em capsulas, é um calmante natural, romado antes de dormir promove um soninho agradável e restaurador de energias.

Se você usar os dois combinados no período da TPM vai transformar aquele instinto assassino natural deste período em alegria de viver.

Você vai ficar tão feliz que pode ate ter crises de riso!

Quer coisa melhor que isso?

Último do Ano!

Saudações amigos e alunos!
Viemos lembrar que no dia 27/11/2010 acontecerá o último Pactvm Pactorvm do ano.
Não perca esta oportunidade de começar 2011 com os caminhos da Riqueza e da Prosperidade abertos para você!
Informações:
http://www.cursosdemagia.com.br/pactumpactorum.htm
email: cursosdemagia@cursosdemagia.com.br

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

IBEIJI

Igbeji candomblé. África

Ìbejì ou Ìgbejì - é divindade gêmea da vida, protetor dos gêmeos (twins) na Mitologia Yoruba, identificado no jogo do merindilogun pelos odu ejioko e iká.

Dá-se o nome de Taiwo ao Primeiro gêmeo gerado e o de Kehinde ao último. Os Yorùbá acreditam que era Kehinde quem mandava Taiwo supervisionar o mundo, donde a hipótese de ser aquele o irmão mais velho.

Cada gêmeo é representado por uma imagem. Os Yorùbá colocam alimentos sobre suas imagens para invocar a benevolência de Ìbejì. Os pais de gêmeos costumam fazer sacrifícios a cada oito dias em sua honra.

O animal tradicionalmente associado a Ìbejì é o macaco colobo, um cercopiteco endêmico nas florestas da África subsariana. A espécie em questão é o colobus polykomos, ou "colobo real", que é acompanhado de uma grande mística entre os povos africanos. Eles possuem coloração preta, com detalhes brancos, e pelas manhãs eles ficam acordados em silêncio no alto das árvores, como se estivessem em oração ou contemplação, daí eles serem considerados por vários povos como mensageiros dos deuses, ou tendo a habilidade de escutar os deuses. A mãe colobo quando vai parir, afasta-se do bando e volta apenas no dia seguinte das profundezas da floresta trazendo seu filhote (que nasce totalmente branco) nas costas. O colobo é chamado em Yorùbá de edun oròòkun, e seus filhotes são considerados a reencarnação dos gêmeos que morrem, cujos espíritos são encontrados vagando na floresta e resgatado pelas mães colobos pelo seu comportamento peculiar.

Na África , as crianças representam a certeza da continuidade, por isso os pais consideram seus filhos sua maior riqueza.

A palavra Igbeji que dizer gêmeos. Forma-se a partir de duas entidades distintas que coo-existem, respeitando o princípio básico da dualidade.

Contam os Itãs (conjunto de lendas e histórias passados de geração a geração pelos povos africanos), que os Igbejis são filhos paridos por Iansã, mas abandonados por ela, que os jogou nas águas. Foram abraçados e criados por Oxum como se fossem seus próprios filhos. Doravante, os Igbejis passam a ser saudados em rituais específicos de Oxum e, nos grandes sacrifícios dedicados à deusa , também recebem oferendas.

Entre as divindades africanas, Igbeji é o que indica a contradição, os opostos que caminham juntos, a dualidade. Igbeji mostra que todas as coisas, em todas as circunstâncias, têm dois lados e que a justiça só pode ser feita se as duas medidas forem pesadas, se os dois lados forem ouvidos.

Na África, O Igbeji é indispensável em todos os cultos. Merece o mesmo respeito dispensado a qualquer Orixá, sendo cultuado no dia-a-dia. Igbeji não exige grandes coisas, seus pedidos são sempre modestos; o que espera como, todos os Orixás, é ser lembrado e cultuado. O poder de Igbeji jamais podem ser negligenciado, pois o que um orixá faz Igbeji pode desfazer, mas o que um Igbeji faz nenhum outro orixá desfaz. E mais: eles se consideram os donos da verdade.

Os gêmeos (Ibeji entre os Yorubas e Hoho entre os Fon) são objeto de culto. Não são nem Orixá e nem Vodun, mas o lado extraordinário desses duplos nascimentos é uma prova viva do princípio da dualidade e confirma que existe neles uma parcela do sobrenatural, a qual recai em parte na criança que vem ao mundo depois deles.

Recomenda-se tratar os gêmeos de maneira sempre igual, compartilhando com muita equidade entre os dois tudo o que lhes for oferecido. Quando um deles morre com pouca idade o costume exige que uma estatueta representando o defunto seja esculpida e que a mãe a carregue sempre. Mais tarde o gêmeo sobrevivente ao chegar à idade adulta cuidará sempre de oferecer à efígie do irmão uma parte daquilo que ele come e bebe. Os gêmeos são, para os pais uma garantia de sorte e de fortuna.


No Brasil

Ibeji - Existe uma confusão latente entre Ibeji e os Erês. É evidente que há uma relação, mas não se trata da mesma entidade, confundindo até mesmo como Orixá.
Ibeji, são divindades gêmeas, sendo costumeiramente sincretizadas aos santos gêmeos católicos Cosme e Damião.

Por serem gêmeos, são associados ao princípio da dualidade; por serem crianças, são ligados a tudo que se inicia e brota: a nascente de um rio, o nascimento dos seres humanos, o germinar das plantas, etc.

Seus filhos são pessoas com temperamento infantil, jovialmente inconseqüente; nunca deixam de ter dentro de si a criança que já foram. Costumam ser brincalhonas, sorridentes, irrequietas, tudo enfim que se possa associar ao comportamento típico infantil. Muito dependentes nos relacionamentos amorosos e emocionais em geral, podem então revelar-se teimosamente obstinados e possessivos. Ao mesmo tempo, sua leveza perante a vida se revela no seu eterno rosto de criança e no seu modo ágil de se movimentar, sua dificuldade em permanecer muito tempo sentado, extravasando energia.

Podem apresentar bruscas variações de temperamento, e certa tendência a simplificar as coisas, especialmente em termos emocionais, reduzindo, à vezes, o comportamento complexo das pessoas que estão em torno de si a princípios simplistas como "gosta de mim" ou "não gosta de mim". Isso pode fazer com que se magoem e se decepcionem com certa facilidade. Ao mesmo tempo, suas tristezas e sofrimentos tendem a desaparecer com facilidade, sem deixar grandes marcas. Como as crianças em geral, gostam de estar no meio de muita gente, das atividades esportivas, sociais e das festas.

Crianças na Umbanda

Ibeji no Batuque

Bêji no Xambá

A grande cerimônia dedicada a Ibeji acontece a 27 de setembro, dia de Cosme e Damião, quando comidas como guaraná, caruru, vatapá, bolinhos, doces, balas (associadas às crianças, portanto) são oferecidas tanto a eles como aos freqüentadores dos terreiros. As velas são cor-de-rosa para as meninas e azul marinho para os meninos.

Ibeji na nação Keto, ou Nvunji nas nações Angola e Congo. É a divindade da brincadeira, da alegria; sua regência está ligada à infância. Ibeji está presente em todos os rituais do Candomblé pois, assim como Exu, se não for bem cuidado pode atrapalhar os trabalhos com suas brincadeiras infantis, desvirtuando a concentração dos membros de uma Casa de Santo.

É a divindade que rege a alegria, a inocência, a ingenuidade da criança. Sua determinação é tomar conta do bebê até a adolescência, independente do orixá que a criança carrega. Ibeji é tudo de bom, belo e puro que existe; uma criança pode nos mostrar seu sorriso, sua alegria, sua felicidade, seu engatinhar, falar, seus olhos brilhantes.

Na natureza, a beleza do canto dos pássaros, nas evoluções durante o vôo das aves, na beleza e perfume das flores. A criança que temos dentro de nós, as recordações da infância. Feche os olhos e lembre-se de uma felicidade, de uma travessura e você estará vivendo ou revivendo uma lenda dessa divindade. Pois tudo aquilo de bom que nos aconteceu em nossa infância, foi regido, gerado e administrado por Ibeji. Portanto, ele já viveu todas as felicidades e travessuras que todos nós, seres humanos, vivemos.

A palavra Eré vem do yorubá, iré, que significa "brincadeira, divertimento". Daí a expressão siré que significa “fazer brincadeiras”. O Ere(não confundir com criança que em yorubá é omodé) aparece instantaneamente logo após o transe do orixá, ou seja, o Ere é o intermediário entre o iniciado e o orixá. Durante o ritual de iniciação, o Ere é de suma importância pois, é o Ere que muitas das vezes trará as várias mensagens do orixá do recém-iniciado.

Ere na verdade é a inconsciência do novo omon-orixá, pois o Ere é o responsável por muita coisa e ritos passados durante o período de reclusão. O Ere conhece todas as preocupações do iyawo (filho), também, aí chamado de omon-tú ou “criança-nova”. O comportamento do iniciado em estado de “Ere” é mais influenciado por certos aspectos de sua personalidade, que pelo caráter rígido e convencional atribuído a seu orixá. Após o ritual do orúko, ou seja, nome de iyawo segue-se um novo ritual, ou o reaprendizado das coisas chamado Apanan.


Símbolos: 2 bonecos gêmeos, 2 cabacinhas, brinquedos;

Plantas: jasmim, maçã, alecrim, rosa

Dia: domingo e segunda-feira para nações Ketu e Jeju Jexá;

Cor:azul , rosa, verde, mas na verdade gosta do colorido em si.

Metal: estanho. Seus elementos: fogo, ar.

Saudação:Omi Beijada! Bejiróó! farami sóibeji!.

Domínios: parto e infância. Amor união.

Comidas: caruru, cocada, cuscuz, frutas doces.

Animais: passarinhos.

Quizilas: morte, assobio.

Características: alegre, otimista, brincalhão, esperto, trabalhador, imaturo, birrento, voraz.

O que faz: ajuda a resolver problemas de crianças, dá harmonia na família, facilita uniões.

Riscos de saúde: alergias, anginas, problemas de nariz, raquitismo, acidentes.

(Fonte: Wikipédia, a enciclopédia livre.)

sábado, 25 de setembro de 2010

A queda dos Anjos


Trecho do Livro Magia Angelical

de Giselle Galvão e Francisco Marengo



No segundo dia da criação Deus criou os anjos da Lava, da Pedra; do Fogo e do Relâmpago. E os estabeleceu em 9 hierarquias ascendentes e essas hierarquias foram chamadas de Coros Celestiais, para cada Coro colocou um Príncipe da Divina Presença com seus assistentes para governar os milhares de anjos que compunham cada um deles. Estas foram as hostes celestiais formadas pelo Criador para governar o Sete Céus. Superiores aos Nove Coros o Criador criou os Guardiões das Atalaias – as Muralhas dos Sete Palácios que estão no Sétimo Céu onde fica a morada do Criador. Entre os Guardiões o Criador escolheu setenta que foram chamados Príncipes dos Reinos e eram superiores aos outros Guardiões. E então escolheu a outros que são superiores aos setenta que são os que estão na frente do Trono do Criador. E um destes, o mais bonito e poderoso de todos com poderes quase tão grandes como o do Criador foi o Grande Serafim, Querubim, Potencia e Arcanjo chamado Beqa, cujo nome significa “aquele que é bom”, e este Grande Arcanjo era muito amado pelo Criador que depositou nele mais poderes e conhecimentos que em nenhum outro Anjo, exceto o Grande Serafim, Virtude e Arcanjo Miguel, cujo nome significa “aquele que é como o Criador”, e quem é incorruptível. E o Criador amando grandemente Miguel fez dele seu estrategista supremo quem está a cargo de decidir as estratégias das Hostes Celestiais. E conhecendo a integridade de Miguel, revelou somente a ele seu Nome Secreto com o qual criou o Universo “o nome secreto e Criador são Uno e com este nome podem ser criados e destruídos milhares de Universos.” Mas o Criador não revelou a Miguel e a nenhum dos outros anjos como havia sido criado o universo.

Beqa tendo um poder quase igual a do Criador pôde descobrir como o Criador formou a Criação e seu espírito se encheu de grande desejo de ser como o Criador e ter o poder de criar Universos. E seu olhar cobriu todos os âmbitos dos Sete Céus e as Hostes Celestiais, todos os servidores do Criador, e seus olhos se extasiaram no Trono do Criador nas Alturas, formado de fogo e de cristal. Beqa desejou ardentemente sentar-se no Trono do Criador e governar.

Todavia Beqa não possuía o Nome Secreto do Criador que foi revelado somente ao Arcanjo Miguel, sem este nome não podia apoderar-se do Trono e concebeu um plano. Toda manhã Miguel após receber as ordens do dia erguia vôo com suas asas de esmeralda para cumpri-las. E Beqa espiando o vôo de Miguel o seguiu e o deteve no meio da imensidão que está entre a luz e as trevas. E os dois príncipes regentes ao encontrar-se formaram um sol deslumbrante no meio do Céu com as faíscas de fogo que deles provinham. Beqa com cortesia impecável tirou sua coroa deslumbrante e se inclinou reverentemente diante de Miguel. Em resposta Miguel retirou por sua vez sua coroa de luz e de fogo e se inclinou diante de Beqa, que lhe pediu permissão para acompanhar-lhe em sua jornada. Miguel concedeu. Ambos os príncipes então continuaram seu vôo formando arcos de luz em sua travessia pelo firmamento. Beqa sutil e malicioso com grande inteligência indagou sabiamente a Miguel se este estava satisfeito em prestar serviços ao Criador. Miguel, surpreendido mais ainda sem suspeitar de nada respondeu simplesmente que todo o seu ser e sua essência pertenciam ao Criador. Beqa respondeu com palavras de fogo que ele não desejava servir e sim ser servido já que sua essência era tão poderosa como a do Criador e para demonstrar este poder revelou a Miguel como o Criador manifestou o visível do invisível para criar desta forma o Universo. Revelando toda a sua má intenção ofereceu a Miguel compartilhar o domínio dos Sete Céus com ele se ele lhe revelasse o Nome Secreto do Criador.

Então Miguel, aquele que é como Deus, desembainhou sua espada de fogo a qual faz os exércitos celestiais tremerem e com o golpe mais rápido que o pensamento despojou de Beqa a sua coroa deslumbrante que rodou como uma estrela luminosa pelo confins do firmamento. Beqa com a cabeça descoberta como o anjo mais baixo sem posto e sem coroa sentiu a ponta flamejante da espada de Miguel sobre seu peito queimando sua pele de luz. Miguel empurrou a ponta da espada e Beqa aterrado retrocedeu.

“Anjo ruim, sem gratidão e sem consciência!”, exclamou Miguel, tremendo com ira divina. “Jamais sua sandália impura pousara nos degraus do Trono Celestial. Para trás, Kasbel. Este é teu verdadeiro nome: “aquele que trai o seu Criador”. Fora de minha presença”! Então grandes labaredas de fogo brotavam da boca de Miguel a cada palavra que dizia e sua figura imensa que atravessa o curso das estrelas aumentava com sua indignação e o firmamento inteiro se iluminava e estremecia com o fogo celestial que dele fluía. Beqa fugiu apavorado da presença terrível e devastadora de Miguel. Sua túnica radiante envolta em chamas e coberto por uma nuvem escura regressou maltrapilho e sem coroa a sua mansão no Sétimo Céu, tremendo de ira e frustração convocou seus grandes ministros: Yeqon, Asbel, Gadereel, Pineme e Kasadya e os fez, unir-se a ele juntamente com seus exércitos para fazer guerra no Céu e destronar o Criador .

Miguel, príncipe da Divina Presença, regente dos Serafins ao terminar sua batalha com Kasbel, se elevou rapidamente até e Sétimo Céu e chegou frente ao majestoso príncipe Anapiel YHVH quem tem a cargo a chaves dos Sete Palácios que tirou sua coroa gloriosa e saldou reverentemente a Miguel abrindo baixo sua petição as portas do Sétimo Palácio, onde mora o Criador. E o grande e terrível príncipe Soteraziel YHVH sem cuja permissão nenhum dos príncipes angelicais pode chegar a divina presença ao ver chegar diante de si Miguel, o grande terrível Serafim, Arcanjo e Arquiestrategista divino tirou sua coroa de mil estrelas saldando-o reverentemente e em seguida escoltou Miguel até a Divina Presença. E então os Coros angelicais entoaram cantos de boas vindas ao ver Miguel. E o Grande Serafim, Virtude e Arcanjo ao chegar diante do Trono Divino do qual surgiu milhares de relâmpagos e cuja luz deslumbrante iluminava os Sete Céus, tirou sua coroa gloriosa e se prostrou diante da Divina Presença.

Os Querubins que sustentam o Trono Divino bateram milhares de vezes suas asas de fogo para anunciar a presença de Miguel diante do Criador e de sua divina Shekina. Milhares de vozes de trovão e fogo surgiram do Trono fazendo ecos por todos os confins do Araboth e então a voz de Deus envolveu Miguel e o transportou ao seu lado no Trono Divino. Neste momento Miguel envolto no fogo do amor supremo tremeu terrivelmente e de seus olhos de esmeraldas brotaram milhares de lagrimas de luz das quais nasceram novos Querubins, todos alados, todos abrasados nas chamas do amor divino e todos cantando uníssono suas glorias.

Miguel junto ao Criador em seu Trono lhe revelou sem palavras a rebeldia de Beqa, agora Kasbel. E o Criador vislumbrou claramente a batalha entre seus dois arcanjos no espelho esmeralda das lagrimas de Miguel, então lagrimas de fogo brotaram do Criador unindo-se com as de Miguel diante da traição do seu amado Serafim e Arcanjo Beqa. E as lagrimas de chamas e esmeraldas correndo sobro o solo de cristal foram unir-se ao rio de fogo que esta de frente ao Trono Divino. Os Coros Angelicais calaram-se aterrados diante esse espetáculo inverossímil e houve um terrível silencio em todos os palácios de Araboth. E os ecos deste grande silêncio ressoaram através dos Sete Céus despertando os anjos menores que descansavam no Primeiro Céu..

Após o grande silêncio então ouviu-se o ressoar de Trombetas convocando o Conselho de Guerra. Kasbel também ouviu o som das Trombetas e sua astúcia lhe indicou que era necessário atacar de imediato. Seus ministros com seus milhares de exércitos já estavam preparados para a batalha. O Poder de Kasbel era tão grande que pode cruzar os portais dos seis primeiros céus sem encontrar resistência que igualasse a sua força entre os Príncipes Regentes de Shamain, Raquie, Sagun, Machen, Mathey ou Zebul.. Kasbel chegou triunfante aos portais de Araboth. Ali lhe esperavam as Hostes Celestiais, Exército atrás de Exército, todos anjos de luz montados em cavalos brancos alados. E todos os anjos fiéis e rebeldes carregavam espadas de fogo e lanças forjadas nos relâmpagos de Araboth. E todos os capitães dos exércitos tinham armaduras de ferro e lava que brilhavam como rubis no furor da batalha. O primeiro encontro ressonou como o ruído de mil milhões de vulcões em erupção. E em todos os confins do Araboth estremeceram de pavor.E muitos dos anjos rebeldes foram desmontados e lançados ao vazio das trevas. Mas nenhum dos anjos fiéis foi desmontado.E assim sucedeu também no segundo e terceiro encontro.

Mas como os anjos foram criados imortais pelo criador, não podiam morrer e suas terríveis feridas cicatrizam ao mesmo instante, e fogo e luz em essência sutil emanava ao invés de sangue. Mas apesar de cicatrizar suas feridas, cada anjo ferido perdia energia Divina. E cada anjo rebelde que perdia sua essência Divina, eram lançados imediatamente ao abismo das trevas. Houve uma grande batalha. Mas quando Kasbel viu que os Quatro grande Arcanjos - Miguel, Gabriel, Rafael e Uriel sozinhos venceram a metade de seus exércitos, uniu-se a seus dois ministros restantes: Pyneme e Kasadya e seus exércitos e deu ordens para que atacassem simultaneamente as muralhas de cristal do Araboth.. E os príncipes Anapiel YHVH e Soterasiel YHVH e os guardiões dos sete Palácios de Araboth acudiram diante do trono do criador para informar-lhe tal ataque e o perigo iminente de queda das Muralhas de Araboth.

Mas eis que a Glória do Senhor Deus dos Exércitos estava em seu Trono de Justiça e Dele emanava uma Luz imponderável que transcendia o Araboth e se estendia por todos os confins do Universo. O rio de fogo de frente ao Trono rugia com vozes Tumultuosas. E as criaturas de fogo que sustentam a Carruagem Divina que é a Merkabah e sobre o qual está o Trono do Criador, rugiam com ira divina, e os quatro Ventos dos Furacões, Tormentas, Tempestades e Vendavais, sopravam com força onipotente, alimentando as chamad dos Querubins.E a voz de Trovão e de Relâmpago do Criador surgiu do Trono de Luz deslumbrante e através de seus ecos prodigiosos emanaram a Justiça, a Compaixão e a Verdade, sobre os quais está cimentado o Trono /divino. E as três qualidades Divinas se uniram em harmonia perfeita trazendo de novo a Paz e o Equilíbrio ao Araboth. Neste instante tudo se calou novamente e em seguida todos os Príncipes da Divina Presença se levantaram junto aos coros Celestiais e entoaram com vozes gloriosa o Triságono Divino: Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus dos Exércitos. Repleto está o céu com sua Glória.

Kasbel e as hostes rebeldes do outro lado das muralhas viram a Glória do Criador estender-se por todos os âmbitos do Universo e escutaram os ecos angelicais do Triságono Divino reverberando por toda a Criação e compreenderam sua grande e terrível perda e uma grande dor e angústia sobrecaíram sobre seus corações. Mas Kasbel consciente de seu erro irreparável e determinado a levar até o fim o seu plano de conquista, comandou seus exércitos a atacarem novamente.. Neste momento ouviu o som Trombetas e clarins que vinham das Alturas. Alçou seus olhos ao firmamento e viu uma avalanche celestial descer sobre sua cabeça comandados por Miguel, Gabriel, Uriel e Rafael.Em um instante o pânico, o terror e a confusão se instalou entre os rebeldes que foram derrotados em um instante.

Kasbel, despojado de seus Ministros e abandonado por seus exércitos, os quais se dispersaram aterrados pelos sete céus e foram perseguidos pelas Hostes Celestiais, se encontrou só novamente de frente com seu grande oponente, o terrível, invencível, Arcanjo, Virtude e Serafim Miguel. Todas as trombetas e clarins se calaram neste momento e os dois inimigos celestiais, o fiel e o rebelde, desmontaram de seus cavalos e se prepararam para o combate final. Miguel tirou sua armadura divina forjada em fogo de Querubins e jogou para longe de si uma grande lança flamejante. Com somente sua espada de fogo e relâmpago enfrentou ao adversário do Criador. Kasbel; em sua feroz arrogância, não quis ser menos que o Arquiestrategista Divino e tirou também sua armadura e lança. E o silêncio que rodeou os oponentes foi mais aterrador ainda que o som da s trombetas e clarins de guerra.

A grande astúcia de Kasbel lhe fez ver que na derrota de Miguel estava sua maior defesa e esperança de ganhar ainda a batalha, já que vencer o Invencível – elevaria seu grau diante das Hostes Celestiais, as quais talvez ainda pudesse seduzir. E foi este orgulho e arrogância sem medida que impulsionou Kasbel a ser o primeiro a atacar.

Miguel, cuja estratégia suprema lhe fez esperar o ataque, vislumbrou claramente o plano de Kasbel nos olhos de seu inimigo.

Kasbel com grande força e impulso se jogou sobre Miguel com a intenção de atravessar-lhe o peito com sua espada. Mas ao invés do corpo de luz do Arquiestrategista sua espada fulminante atravessou o vazio. E ao virar-se rapidamente Kasbel viu seu inimigo esperando-o em suas costas, com olhar sereno e sua espada apontando para o chão. E cheio de confusão diante da transformação instantânea de Miguel, atacou de novo e desta vez pode ver a essência Divina do grande Serafim se desvanecer frente aos seus olhos e transladar-se simultaneamente ao seu lado direito. Neste momento percebeu a grandeza de seu inimigo e porque é considerado invencível. Mas seu orgulho o impediu de ver a impossibilidade de vencer a Miguel e rugindo com fúria impotente se jogou novamente sobre o grande Arcanjo que desta vez o recebeu de frente. E as duas espadas de fogo se chocaram com terríveis ecos e os dois oponentes se encontraram cara a cara. As espadas cruzadas diante de seus rostos. E nos olhos de esmeralda de Miguel, Kasbel não viu ódio nem rancor, somente uma grande tristeza. E neste momento supremo, o grande Adversário sentiu, como sentiria por uma eternidade, a dor de ter perdido a Glória Celestial. Este momento de reconhecimento e de derrota durou menos que o um segundo. E com um movimento rápido e seguro Miguel desarmou a Kasbel cuja espada saltou em pedaços de suas mãos. O impacto fez Kasbel cair aos pés do Grande Arcanjo, cuja sandália de fogo se plantou firmemente sobre seu pescoço. E foi assim que chegou ao final a guerra no céu.

Miguel, Gabriel, Uriel e Rafael acorrentaram a Kasbel com cadeias de fogo e o levaram desta maneira vencido e humilhado diante do Trono do Criador.





sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Magia Cigana de Amor

Para desmanchar trabalho feito para seu amor

Quando você notar que seu marido está estranho na cama, não comparecendo como antes ou fazendo amor sem emoção alguma, quase como uma obrigação, pode ser que tenha uma outra mulher nessa história armando algum trabalho para tomá-lo de você.

Não facilite com essas coisas. Aja com rapidez. Numa segunda-feira, compre um prato de barro, forre-o com tecido branco de seda, cetim ou tenda, encha-o de frutas e coloque-o sobre a mesa.

Quando seu amor retirar uma fruta de lá, imediatamente retire todas as frutas que estão lá e guarde-as. Coloque no lugar delas uma porção do salgadinho que ele mais gosta e faça a mesma coisa. Quando ele tirar um salgadinho, retire todos e coloque os doces que ele mais gosta. Quando ele comer um, retire tudo de novo e junte com as frutas e os salgadinhos.

Coloque tudo dentro de um saco plástico e leve para um canto de muro ou de cerca. Abra um buraco fundo e enterre isso. Coloque uma pedra pesada por cima e sobre a pedra acenda três velas vermelhas. Quando acender cada vela, repita três vezes para cada uma as orações seguintes:

• 1° vela: “Desta fruta ninguém comerá. Quem come sou eu, ninguém pegará”.

• 2° vela: “Deste salgado ninguém comerá. Quem come sou eu, ninguém tocará.”

• 3° vela: ”Deste doce ninguém comerá. Quem come sou eu, ninguém lamberá”.



Nunca mais repita esta magia. É muito importante que ele ou qualquer uma outra pessoa jamais saiba que você fez esta magia, mesmo que vocês, no futuro, venham a se separar por sua vontade.



Para descobrir segredos do ser amado

Se você quer descobrir os segredos da pessoa amada, faça o travesseiro mágico..

Pegue um metro de cetim vermelho e novo, faça uma almofada e encha-a com palha de milho seca que deverá ser cortada com um tesoura nova. Costure a almofada com uma linha também vermelha e coloque-a na cama, sobre o travesseiro dele.

A partir daí, fique observando, até um dia em que ele dormir sobre essa almofada. Quando isso acontecer, pergunte aos ouvidos dele, de forma bem suave, quais são seus segredos. Repita o pedido por três vezes.

A partir daí, seja dormindo ou acordado, ele começará, pouco a pouco,a revelar seus segredos. Fique atenta, pois ele jamais dirá que vai lhe contar um segredo. Simplesmente deixará escapar.


Para afastar uma rival

Quando uma cigana descobre que seu homem tem uma amante, pode reagir de duas maneiras, saindo da vida dele ou lutando pelo seu amor. Isto porque, versadas nas artes mágicas do amor, ela sabe muito bem como se pode virar a cabeça de um homem, sem que ele perceba que isso acontece.

Assim, quando a cigana se vê diante de uma rival perigosa, sua reação é aceitar o desafio e lutar pela sua felicidade. Suas armas são magias poderosas como esta.

Numa sexta-feira, exatamente à meia noite, pegue uma foto de seu

homem, coloque dentro de um saquinho de algodão branco, com sal grosso, areia e pedrinhas de rio. Deixe passar uma noite no sereno e no outro dia, antes do sol nascer, tire a fotografia, coloque dentro um pedaço de carvão e vá jogar isso no quintal da casa dessa mulher. Se ela morar num apartamento, deixe na porta dela.

Fonte: Curso de Magia Cigana da E.I.E. Caminhos da Tradição
Onde a Magia acontece!

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Perfspot.com - Qual o seu perfil Mágicko?

Perfspot.com - Qual o seu perfil Mágicko?

A alma individualizada dos animais


No começo do ano adotamos uma gatinha que havia sido abandonada juntamente com seus cinco irmãozinhos na porta de uma loja de suprimentos agrícolas e animais. Era uma pelotinha de pelo negro, não tinha nenhum mês de idade ainda. Muito boazinha e brincalhona. Cuidamos dela com todo carinho, ela ganhou caminha, brinquedos, amor e carinho de todos da família. Só que ela aprendeu a subir no muro e não sabia descer, porque era ainda bem pequena. Mais ou menos depois de três meses a gatinha sumiu. Ficamos muito tristes, procuramos por toda parte, mas não achamos. Ás vezes escutávamos miados por perto e procurávamos, abriamos a janela do quarto pare ver se não estava no telhado dos vizinhos. A minha casa é um sobrado de dois andares, e as casas dos vizinhos são baixas, mas nada víamos. Várias vezes sentimos a gata pular em nossas camas à noite e ao acender a luz nada. Então concluímos que a gatinha estava morta e o espírito dela esta conosco em casa.
Mas, depois de quase dois meses desaparecida minha filha foi ao banco e encontrou uma gatinha igualzinha ela e muito amigável. Então levou até a sede da escola, e a gatinha parecia reconhecer tudo. Brincava e rolava nos tapetes como antes. Trouxemos a gatinha de volta para o lar e ela parecia reconhecer tudo. Foi direto ao local onde ficava os seus pratinhos de ração e areia. Brincou com as crianças, pulou no meu colo e tomou banho sem contestar. Sem dúvida era ela! Concluímos então que o espírito do gato devia ser certa entidade que trabalha conosco e às vezes se apresenta assim.
Tudo bem, festejamos a volta da nossa “Aristogata”. Ontem, de acordo com a carteirinha de vacinação era o dia dela tomar vacina. Minha filha levou e ao chegar lá a dona disse: - “meu gatinho que sumiu!”
Claro que não, defendeu-se minha filha, é gata!
A dona continuou insistindo que era macho e castrado, por isso não havíamos percebido bem as “partes” do gatinho...
Minha filha se recusou a devolver o gato e por fim a mulher concordou, afinal lá aparece constantemente animais para serem doados. E, nós temos duas crianças pequenas em casa que amam este gatinho.
Quando ela chegou em casam verificamos que realmente o gato é macho! É o irmãozinho dela. Ele não estranhou as crianças porque a babá sempre os levava para ver os bichinnhos da loja e ele estava lá. Mas, o mais impressionante é, como ele reconheceu a casa? Como sabia o local dos pratinhos de comida e fez tudo igual a outra gatinha?
A gatinha continua pulando em nossas camas à noite. Temos certeza que ela está aqui com ele e, às vezes o flagramos brincando com algo invisível...
Há quem não acredita que os animais têm inteligência. Mas eu acredito e vou além disso: Eles tem inteligência e alma individualizada sim!

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Ritual de Ossaim para a venda rápida de um imóvel

Ossaim é um orixá masculino que habita na floresta. Sua ligação principal é com as plantas e os vegetais de modo geral, principalmente às destinadas à medicação.

Você pode fazer esta magia para algo que deseja vender rapidamente, na resolução de negócios, compra e venda de artigos, carros etc.

Porém não surte efeito se a causa for relacionada à questões de herança ou processos jurídicos que estão pendentes a muito tempo.

Miticamente, temos um paralelo entre as histórias sobre duendes e gnomos dos povos nórdicos com Ossaim: são zeladores da natureza. Em troca do respeito a eles destinado, trazem boa sorte para seus simpatizantes.

Este agrado ao deus fará com que você obtenha resultados financeiros rápidos e satisfatórios.

Para esta magia você vai precisar de:

• 1 prato fundo branco;

• 16 moedas correntes;

• 100 gramas de fumo de corda;

• Mel puro;

• 1 vela de 7 dias branca;

Coloque em um prato, o fumo e regue com mel. Depois, coloque as moedas de face para baixo, uma ao lado da outra.

Deposite o prato debaixo da copa de uma árvore frondosa. Acenda uma vela branca de sete dias. Ajoelhe-se e faça seu pedido. Esteja com as mãos limpas e ore. Depois de terminado, não dê as costas. Saia com a cabeça baixa, olhando para a oferenda.

Após uns dez passos, vire e não retorne mais ao local.

E.I.E. CAMINHOS DA TRADIÇÃO
Onde a Magia acontece!


















quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Magia de Ebós


Ebó de Exu

Ebó para afastar inimigo

Modo de fazer:

Cava um buraco coloca o nome da pessoa põe farofa de dendê sete pedaços de enxofre, pimenta. Depois tampa acende uma vela preta ao contrario em cima do buraco.

---------------------------------

Ebó para o mau

Modo de fazer:

1 coração de boi,um pedaço de bofe de boi e coloca o nome da pessoa dentro do bofe coloca o bofe para assar .7 vezes o nome a pessoa abre o coração e coloca o bofe dentro + 7 vezes o nome da pessoa + azougue, pimenta da costa,reino e malagueta,costura o coração e coloca para assar depois da 21 talhos por fora do coração chamando o nome do inimigo, enfia quente em Exu e toca fogo ou bota azeite fervendo,após três dias retira e coloca em uma encruzilhada com farofa de pinga outra de azeite de dendê,álcool e azeite doce dentro de uma agdá.

----------------------------------------------------

Ebó de Exu para atrair o sucesso

1pote de barro, meio metro de murim preto, vermelho e branco, uma farofa de dendê, 21 moedas, 21 búzios, 1 galo caboclo.

Modo de fazer:

Arrume dentro do pote a farofa de dendê, os búzios e as moedas, faça o sacrifício do galo dentro do pote, cubra o pote com o pano preto, vermelho e branco, leve a uma estrada de muito movimento e entregue a Exu.

-------------------------------------------

Ebó de Omolú para prosperidade

1agda grande, 1 cabaça grande, 7 cabaças pequenas, 1 kg de milho de pipoca, 7 pedaços de cobre, 7 pedaços chumbo, 7 pedaços de ferro, 1 litro de dendê

Modo de fazer:

Cerre a cabaça grande ao meio e as pequenas só o pescoço, faça a pipoca, arrume as cabaças pequenas em volta da grande, dentro da grande coloque o ferro, chumbo e cobre, coloque a pipoca por cima de tudo e em seguida derrame o dendê, leve a uma estrada de barro e ofereça a Omolú no cemitério.

------------------------------------------------

Ebó de Exú da 1/2 noite para atrair prosperidade

1 agdá grande, 7 charutos, 7 velas, 7 caixas de fósforo, 7 favas de aridan, 1 litro de dendê, 1 litro de cachaça, 7 moedas de um real.

Modo de fazer:

Coloque o agdá no chão e arrume as favas dentro, arrume em volta os charutos, fósforos e velas, derrame o dendê e a cachaça dentro do agdá, arreia numa encruzilhada oferecendo a Exu da 1/2 noite.

E.I.E. CAMINHOS DA TRADIÇÃO
Onde a Magia Acontece!

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Magia de Amalá de Oxóssi para Cura e Harmonização

Para pedir harmonização e cura para Oxóssi fazer uma oferenda num alguidar de barro, com frutas, tais como, uva, abacaxi, morango, melão regado a mel. Faça a oferenda bem ornamentada, acenda uma vela verde de sete dias, e queime em carvão, arruda, guiné, incenso em pedra, alfazema e alecrim.

Diga em voz alta: "Okê Oxóssi! Estou fazendo essa humilde oferenda para que me ajudes (e peça o que deseja)."

Deixe a oferenda por 24 horas e logo depois entregue as frutas numa mata, ou enterre.
 
E.I.E. CAMINHOS DA TRADIÇÃO
Onde a Magia Acontece!

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Magia de descarrego para quebrar feitiços e afastar energias negativas de você


Antes de fazer esta magia a pessoa a ser descarregada deve tomar um banho de sal grosso e colocar roupas brancas.

Você vai precisar de 7 velas coloridas sendo:

1 vela branca;

1 vela amarela;

1 vela azul;

1 vela cor de rosa;

1 vela vermelha;

1 vela lilás;

1 vela marrom;

1 vidro de óleo de banimento;

1 vidro de óleo de unção;

7 varetas de incenso de mirra de boa qualidade;

1 gráfico radiônico desimpregnador de energias em cobre;

Realizar esta magia na Lua Minguante; entre as 19:00 e 21:00 hrs.

Deite a pessoa a ser descarregada no chão com a cabeça voltada na direção Norte.

Unte as sete velas com o óleo de banimento e acenda ao redor da pessoa da seguinte forma:

Acima da cabeça a vela Lilás;

Na altura do ombro direito a vela azul;

Na altura do ombro esquerdo a vela cor de rosa;

Na altura da mão direita a vela branca;

Na altura da mão esquerda a vela amarela;

Na altura do pé direito a vela vermelha;

Na altura do pé esquerdo a vela marrom.

Enquanto acende as velas peça proteção aos espíritos protetores das 7 direções que afastem toda a energia negativa, maus espíritos, feitiços, etc. daquela pessoa.

Ao lado de cada vela acenda um incenso. Enquando vai acendendo repita:

"Vento que sopra nos campos, vento que sopra nas montanhas, vento que carrega as sementes, vento que tudo leva. Sopre para bem longe toda energia negativa (dizer aqui tudo aquilo que deseja afastar) de (dizer o nome da pessoa). Que assim seja e assim se faça, em nome de Adonai, Agla, Jehová, Tetragrammaton!"

Em seguida pegue o óleo de Unção e com a ponta do dedo indicador direito faça um pentagrama na testa da pessoa. Depois faça uma cruz em cada ombro da pessoa, nas palmas das mãos e no umbigo. Sobre os pés da pessoa faça dois pentagramas.

Deixe a pessoa deitada um pouco ainda dentro do círculo. Pegue um anel ou uma jóia qualquer da pessoa e coloque no centro do gráfico desimpregnador de energias que deve estar localizado na direção Norte, logo acima da cabeça da pessoa que está sendo descarregada. Peça à pessoa que reze por 7 minutos alguma oração de sua preferência, pedindo para que tudo seja quebrado e a energia transmutada.

Em seguida pode levantar, agradecer aos Espíritos das 7 direções e às divindades por levar todo o mal.

Pegue todas as velas quebre e descarregue em água corrente ou queime em uma fogueira ou dentro de um caldeirão.

O anel deve ser lavado e colocado em um copo com salmoura antes de ser usado novamente.


E.I.E. CAMINHOS DA TRADIÇÃO


Onde a Magia acontece!

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Para afastar pessoa que prejudica ou incomoda


Arrume algum pertence da pessoa que deseja afastar (uma roupa, uma foto, uma caneta, um pente...). Na impossibilidade, escreva o nome dela à lápis em um pedaço de papel branco novo e sem linhas, nove velas vermelhas, óleo de banimento, mel e um pacote de sal grosso. Arrume também algo que funcione como um caldeirão onde irá acender fogo.
Numa noite de sábado, num local tranquilo, faça um círculo com o sal grosso, de um tamanho tal que você possa se deitar dentro dele. Passe o mel e o óleo ao longo das nove velas.
Coloque o caldeirão dentro do círculo e distribua as velas ao longo do seu perímetro.
Deite-se no centro dele. Faça uma oração que aprendeu na infância.
Acenda as velas. Pense na pessoa que quer afastar.
Coloque o pertence da pessoa dentro do caldeirão e então diga:
"Tua influência sobre mim vai desaparecer. Não me incomode mais.
(Diga o nome da pessoa) saia definitivamente da minha vida.
Os ventos te levam, as águas te dissolvem..."
Ponha fogo no caldeirão e continue:
"O fogo faz desaparecer a tua imagem de minha vida"...
Fique deitado no centro do círculo até que as velas se apaguem.

Para pessoas mais difíceis repita a magia três vezes.

Atenção: Cuidado com as velas e o fogo.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Ritual da abóbora para afastar a má sorte e atrair a prosperidade


Esta oferenda consiste em estabelecer a harmonia profissional e financeira. Você irá precisar:

1 abóbora;
3 garrafas de Mel;
1 punhado de moedas correntes;
1 pano branco virgem;
1 Vidro de óleo de Unção;
Escolha uma abóbora (redonda). Retire a tampa (corte com uma faca grande). Extraia as sementes (que poderão ser jogadas na terra) raspando as laterais com um garfo. Espalhe óleo de unção por toda a abóbora e também pelas moedas que serão utilizadas.

Coloque um punhado de moedas dentro da abóbora, dizendo: "quero ter minha vida financeira restabelecida novamente".

Cubra com mel. Coloque mais um punhado de moedas e diga: "obrigado (a) por minha melhora financeira, repleta de abundância". Coloque mel novamente.

Jogue mais um punhado de moedas e cubra com mel dizendo: "obrigado (a) por minha vida repleta de paz, saúde, prosperidade, tranqüilidade, abertura de caminhos e muita prosperidade. Se algo ou alguém tirou da minha vida, dos meus caminhos e da minha família, a prosperidade e a sorte, estou retornando ao astral esta oferenda para que a harmonia possa ser restabelecida novamente. Amém”.

Feche a tampa da abóbora. Envolva a abóbora com um pano branco. Dê um laço. Coloque por alguns instantes a abóbora sobre sua cabeça. Deposite a oferenda debaixo de uma árvore frondosa. Ao colocar, bata por três vezes a abóbora no solo.

De joelhos, coloque a testa sobre as duas mãos, que estarão uma acima da outra. Seu rosto ficará encostado ao solo e humildemente, peça tudo o que deseja. Não retorne ao local por 21 dias.


E.I.E. Caminhos da Tradição


Onde a magia acontece!

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Para alguém se apaixonar por você


Para alguém se apaixonar por você

Realize o ritual durante a Lua Crescente na sexta-feira (dia de Vênus). Você vai precisar de:

3 Velas (1 rosa e 2 de acordo com os signos de quem faz e de quem irá sofrer a magia.)
1 Frasco de óleo atrativo do amor
1 Pedaço de papel, aproximadamente 7 x 7 cm
Vamos chamar:

1.V1 = Vela com cor do seu signo;

2.V2 = Vela com cor do signo da pessoa a ser encantada;

3.V3 = Vela Rosa

Antes de mais nada, unte as velas com o óleo atrativo do amor de cima para baixo em movimentos espiralados, com cuidado para não molhar o pavio. Disponha as velas em triângulo eqüilátero de base 10 cm , conforme ilustração:

Acenda V1 e V2. Diga:
"Assim como acendo estas duas chamas, imagino o coração de ... ( nome da pessoa amada ) ... queimando de amor por mim, assim como o meu queima por ela. Vejo seu corpo consumido pelas chamas do puro amor, e seus olhos brilhando de desejo. Juntos, estamos reunidos pelos laços sagrados do amor, compreensão e êxtase."

Visualize a pessoa desejada e pense na grande felicidade que poderiam estar compartilhando juntos. Suplique ao anjo Anael.

"Anael, Anjo de Vênus! Funde o coração de ... com o amor transbordante de toda criação. Que ela me veja como realmente sou. Lança longe dos olhos dela toda nuvem de ilusão. Se ela realmente pensa algo de bom sobre mim, permite que ela se aproxime de mim e nos unamos em amor duradouro."

Pegue a folha de papel e desenhe nela o Diagrama de Intenções, com símbolos do assunto do trabalho. Neste caso, dois corações entrelaçados com os nomes do casal bastariam. Dobre e queime este papel nas chamas das velas, aproveitando para acender a ultima vela (a rosa). Mova as velas V1 e V2 na direção de V3, até que todas se toquem, deixando-as queimar até o fim.
E.I.E. CAMINHOS DA TRADIÇÃO (www.cursosdemagia.com.br)
Onde a Magia acontece!

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Invocação aos Espíritos da Fortuna

Invocação aos Espíritos da Fortuna
(válido por seis meses)

Este tipo de invocação é feita para:
- Adquirir clientes, rápido;
- Conseguir empréstimos e sorte no jogo;
- Conseguir o seu negócio próprio;
- Ser bem sucedido nos negócios;
Você vai precisar de:
- 1 caneta verde ou dourada
- 1pedaço de papel branco 4x4 cm
- 1 vela de cera
- 1 óleo atrativo da prosperidade
- 1 candelabro de barro
- 1 giz consagrado (como está nos grimórios)

1º No papel, desenhe este sigilo mágico:


2º A qualquer dia ou hora (exceto o dia 13 de cada mês), trace um circulo no chão.
3º Dentro do circulo, ponha o papel e a vela. Acenda-a e diga:


“Espíritos da Sorte e da Fortuna
Que a minha voz seja ouvida por vós
E venham rápido ao meu encontro.
Que jamais os espíritos da pobreza
Sejam meus companheiros ou da minha vida financeira
Conduzam os passos deste Invocador (diga o seu nome de batismo)
em direção da Glória, da Fama, do Sucesso e da Riqueza
Pelo poder do Sol e da Lua
E dos doze Signos do Zodíaco
Mesmo que estes estivessem mal localizados
No momento do meu nascimento
Afastem, agora, os maus espíritos que tentam criar barreiras
em minha vida Material e Social e que, os espíritos da miséria e pobreza
sejam banidos da minha vida, porque, o mandamento que vos faço, agora, é Em nome de Agla, On, Adonay e Tetragrammaton
E pelo Sangue, Morte, Ressureição, Glória e Nome
Do messias, Nosso Senhor Jesus, O Cristo”.
Amém.

E.I.E. Caminhos da Tradição (www.cursosdemagia.com.br)
Onde a Magia acontece!