domingo, 23 de dezembro de 2012


Sol Invictus  -  Sol invencível - Sol Iustitiae

por: Sóror Fortuna

 
E Deus disse: Faça-se a Luz e a Luz se fez! (Fiat Lux ferre)
O nascimento do Sol, o maior de todos os Deuses, o mais cultuado e adorado desde o princípio dos tempos!
Vivemos em um tempo onde as pessoas se sentem inteligentes demais para adorar a um Deus ou acreditar em forças ocultas. O fato é que não adianta esconder o Sol com a peneira, tais forças, tais inteligências, Deuses ou Demônios estão aí e fazem parte de nossas vidas em tempo integral, quer você acredite, quer não!
Tais pessoas, estudiosos, inteligentes e cultas afirmam que os povos antigos acreditavam que o Sol era Deus por mera ignorância, simplesmente porque percebiam que ele era doador do calor e da vida, e que quando não havia sol, suas plantações não brotavam. Dizem ainda que os antigos povos pagãos dormiam assombrados pela ideia de que numa noite qualquer o mundo caísse numa noite eterna e o sol jamais retornasse, por isso o veneravam, para agradá-lo. Pensamento infame! Ninguém pensa isto! Nascemos, e o dia e a noite são tão naturais que fazem parte de nossa vida como o nosso respirar!
Acontece que o homem contemporâneo perdeu quase que totalmente a sua sensibilidade, a sua inteligência tecnológica o desespiritualizou! Os povos antigos eram mais puros, estavam mais ligados com a Natureza, tinham mais contato com o plano espiritual. Sua mente estava totalmente conectada com o Universo, eles observavam os céus, observavam os ciclos da natureza e  ter contato com o plano astral para eles não era suspeita de loucura!
Nossos ancestrais Pagãos sabiam que éramos filhos de Grande Mãe e do Grande Pai Universal, sabiam que seu sopro de vida estava em tudo e toda sua criação era inteligente e tinha um espírito, pois sem espírito não há vida! Eles sabiam que por traz do Astro Sol, havia uma inteligência, um Deus, e era a este Deus que glorificavam agradecendo pela vida doada. E Á Grande Mãe, cujo útero produzia frutos que alimentava a todos os seres.
É admirável a unanimidade de percepção entre todas as culturas da antiguidade aceitando o Sol como centro de nosso Universo, fato que somente em meados de 1543 Nicolau Copérnico começou a desconfiar e que foi confirmado por Kepler por volta de 1600. A grande roda solar pode ser observada em diversos povos, desde os Egípcios, Celtas, Maias, Nórdicos, etc. 
A mitologia Grega, pode ter provocado toda a tradição de 25 de Dezembro. No ano 283 a.C o solstício ocorreu em Rodes mais ou menos ao nascer do sol no dia 25 de Dezembro. Neste dia consagrou-se a maior estátua do Deus Hélios da Antiguidade Clássica  (Deus do Sol) – O Colosso de Rodes, construída em cobre, com 34 metros de altura e pesando 200 toneladas foi considerada uma das 7 maravilhas do mundo.
No final do século III, o Sol - agora chamado Sol Invictus (o Sol Invencível) - começou a ser visto quase em termos monoteístas, sendo os outros deuses considerados servos da divindade solar ou como diferentes facetas dele. O salto seguinte em direção ao proto-Natal chegou em 274 d.C., quando imperadorAurélio declarou que o Sol Invictus era "Senhor do Império Romano".
A decisão de declarar 25 de Dezembro como o dia do nascimento de Jesus foi tomada no século IV pela Igreja, sob influência do imperador romano, Constantino. Em 312 dC, Constantino estava prestes a lutar a batalha da Ponte Mílvia, ele percebeu um sinal, uma "uma cruz de luz no céu, acima do sol" à  qual ele atribuiu sua vitória.  Foi Constantino que decretou em 321 dC que, com uma exceção para os agricultores, domingo era para ser um dia de descanso.  "No Dia venerável do Sol deixar os magistrados e as pessoas residentes em cidades resto, e deixe todas as oficinas ser fechadas" (Codex Justiniano, III.12.2)
A adoração do Sol era indígena para os romanos, que tinha um santuário para Sol Indiges no Quirinal, que diz-se ter sido estabelecido por Tácio, rei dos sabinos, os primeiros habitantes da colina, que, após a Rapto das Sabinas foi reconciliado com Rômulo e governado conjuntamente. (Quintiliano, Institutio Oratoria, I.7.12; Varro, Na Língua Latina, V.10).  E havia um templo para Sol assim como um para a Lua no Circus Maximus, onde corridas de bigas ocorriam sob os auspícios dessas divindades (Tácito, Anais, XV.74; Tertuliano, De spectaculis, VIII.1) .  Tanto a festa no Monte Quirinal e a data de fundação do templo datavam em agosto, quando o calor do sol era mais intenso.
Em 219 a.C, Heliogábalo chegou da Síria, onde se consagrou por direito hereditário Sacerdote do Deus Sol Elagabal. Heliogábalo introduziu o culto do Sol Invictus em Roma. Ele ampliou o Templo de Júpiter Ultor sobre o Palatino e o dedicou ao Sol Invictus (Sol Invencível). “Na verdade, ele procurou abolir não só as cerimônias religiosas dos romanos, mas também os de todo o mundo, o seu desejo era que o Deus Heliogábalo fosse adorado em todo lugar" (Historia Augusta, VI.7; Herodes, V.7; Dio, LXXIX.11). 
Quando o jovem imperador foi assassinado três anos depois, o culto foi suprimido, para ser restabelecido meio século depois pelo imperador Aureliano, que ergueu um magnífico templo ao Sol, no Agrippae Campus (Historia Augusta, XXV.6, XXXV.3, XXXIX.6; Aurélio Victor, XXXV.7; Eutrópio, IX.15.1).  Presumivelmente, foi dedicado em 274 dC, um ano depois, o imperador voltou da conquista de Palmyra, onde ele viu "uma forma divina" (Sol) apoiá-lo na batalha contra Zenobia (XXV.3, 5).  Depois disso, Aureliano se identificou com a personificação do deus, que foi proclamado o protetor divino do imperador.  A festa do solstício de inverno, quando os dias escuros do inverno começavam a alongar e a clarear, era conhecido como Natalis Solis Invicti, o aniversário do Sol invencível. 
Mithras foi outra divindade solar, Oriental cuja festa foi celebrada em 25 de dezembro, seus ritos introduziu a Roma no primeiro século dC por piratas Cilícia, Plutarco, Vida de Pompeu, XXIV.5.
O primeiro registro certo associando 25 de dezembro com o aniversário do Sol Invictus é o Cronografia de 354 AD, onde, na parte conhecida como o Calendário Philocalian, VIII Kal.  Janeiro é identificado como N invicti CM XXX (Natalis Invicti; CM abrevia circenses patroa ou raça circo, de que havia de ser 30 dias isso).  Aqui, também, é a mais antiga referência a 25 de dezembro como o aniversário de Jesus.  Em uma comemoração dos mártires cristãos, a anotação do VIII Kal.  Janeiro é natus Christus em Betleem Judeae ("Cristo nasceu em Belém da Judéia").  Porque o Martyrum Depositio foi concluído em 336 dC, a primeira celebração de Natal pode ser datado para o ano também.  Na lista de cônsules, há também a nota dominus Iesus Christus natus est VIII kal.  Ian.
 Marcos e Paulo não fazem qualquer referência a quando Jesus nasceu, e Mateus e Lucas não mencionam a data.  Nem Clemente de Alexandre, quando se refere ao dia do nascimento de Jesus, 25 de dezembro inclue entre as possibilidades.  "Há aqueles que determinaram não somente o ano do nascimento de nosso  Senhor , mas também o dia, e eles dizem que teve lugar no  vigésimo oitavo  ano de  Augusto [2 aC]  E, no dia vinte e cinco de  Pachon [o mês egípcio, 20 de maio]  .... Outros dizem que Ele nasceu no dia vinte e quatro ou vinte e cinco de  Pharmuthi  [20 de abril ou 21] "(Stromata, I.21). Fato, a Igreja não acordar 25 de dezembro como o Natal de Jesus até o século cinco.
Epifânio, bispo de Salamina, que morreu no ano de 403, argumentava que 06 de janeiro era a data do nascimento de Jesus.  "Gregos, quer dizer, os idólatras, comemoram este dia no oitavo antes das calendas de janeiro [25 de dezembro], que os romanos chamam Saturnalia. Para esta divisão entre os signos do zodíaco, que é um solstício, vem na oitava antes das calendas de janeiro, e o dia começa a aumentar, porque a luz está a receber o seu aumento, completando um período de treze dias até a oitava antes dos Idos de Janeiro [06 de janeiro], o dia do nascimento de Cristo "(Panarion, IV.22.5-6; também 22,17-18 "Para os magos chegaram a Belém neste mesmo dia da Epifania do Senhor, e oferecerem seus dons, a mirra, o ouro e o incenso" e 24,1 "Porque Cristo nasceu em o mês de janeiro, ou seja, no oitavo dia antes dos Idos de janeiro no calendário romano este é a noite de quinta janeiro, no início de Janeiro de sexta").
Na reforma Julian do calendário romano, 25 de dezembro, o oitavo dia após das calendas de janeiro (VIII Kal. Janeiro), foi reconhecido como o solstício de inverno.  Nove meses antes, 25 de março foi o equinócio vernal, o oitavo dia antes das Calendas de abril (VIII Kal. Abril), que marcou o início da primavera.  Estas datas foram abraçados pela igreja em seu cálculo da data de nascimento de Jesus.  Porque ele foi considerado perfeito, sua vida foi pensada para ser completa e compreendem um número inteiro de anos.  25 de março foi considerada a data de sua concepção (a Anunciação a Maria) e, exatamente nove meses depois, 25 de dezembro o seu Natal.  A data de concepção e crucificação de Jesus, portanto, foi pensada para ter ocorrido no mesmo dia do ano, 25 de março (por exemplo, Tertuliano, Adversus Judaeos, VIII.17; Hipólito, Commentary on Daniel 4:23; Agostinho, On Trindade, IV.5; Exiguus Dionísio, Argumenta Paschalia, XV).
Ainda anterior ao Sol Invictus, existiam os festivais de Saturno, a Saturnália, que ocorria entre 17 e 23 de Dezembro em honra ao Deus Saturno. Quando este festival  foi substituído pelo Sol Invictus este tornou-se praticamente um Deus monoteísta ou Deus Superior, pai de todos os demais.   Nesta altura os Cristãos não celebravam o Natal. Celebravam em vez disso a Epifania a 6 de Janeiro. O imperador Constantinus no inicio do sec. IV promoveu uma tentativa de identificação de Sol Invictus com Jesus Cristo por forma a acabar com as lutas religiosas e políticas entre Cristãos e Romanos tradicionais. Os Deuses eram na verdade muito parecidos: ambos eram o Deus Uno do Universo, e ambos iluminavam o espírito no bom caminho da alma até a imortalidade. Assim, os Cristãos foram também influenciados.
Gradualmente os patriarcas Cristãos ordenaram que o dia Natalis Solis Invicti fosse celebrado pelos Cristãos como o Natal de Cristo. Isto  trazia muitas vantagens. Como os patriarcas não conseguiam impedir que os recém-convertidos ao Cristianismo continuassem a celebrar os festivais romanos tradicionais, isto era uma forma de “cristianizar” estes festivais, estratégia que se estendeu a muitos outros festivais alem do Natal. Cristo era então chamado pelos teólogos Cristãos como Sol Iustitiae (Sol de Justica). Ate a iconografia sofreu influencia sendo Cristo representado com a coroa solar. Mas enfim, os cultos não cristãos foram entretanto proibidos durante o século 4 (definitivamente com o imperador Teodósio na década de 380 DC) e o dia 25 de Dezembro passou definitivamente a ser o Natalis Christi em vez de Natalis Solis, caindo este no esquecimento.  
A prática de trocar presentes era, segundo nos informa Tertuliano, parte da saturnália. Não há nada de errado em dar presentes. Os israelitas davam presentes uns aos outros em tempos de celebração (Et.9:22). Mas alguns têm procurado ligar os presentes de natal com aqueles que Jesus recebeu dos magos.
A árvore de natal também tem suas origens no paganismo. Segundo uma fábula babilônica, um pinheiro renasceu de um antigo tronco morto. O novo pinheiro simbolizava que Ninrode tinha vindo a viver novamente em Tamuz. Entre os druidas o carvalho era sagrado. Entre os egípcios era a palmeira, e em Roma era o abeto, que era decorado com cerejas negras durante a saturnália. O deus escandinavo Odin era citado como um que dava presentes especiais na época de natal àqueles que se aproximassem de seu abeto sagrado. Em inúmeras passagens bíblicas a árvore é associada a idolatria e a adoração falsa: Porque também os de Judá edificaram, estátuas, colunas e postes-ídolos no alto de todos os elevados outeiros, e debaixo de todas as árvores verdes (I Rs.14:23). Não estabelecerás poste-ídolo, plantando qualquer árvore junto ao altar do Senhor teu Deus que fizeres para ti (Dt.16:21). Portanto a árvore de natal recapitula a ideia da adoração de árvore, sendo que castanhas e bolas simbolizam o sol. (WOODROW, Ralph. Babilônia A Religião dos Mistérios).
A fim de justificar a celebração do natal muitos tentaram identificar os elementos pagãos com símbolos bíblicos. Jesus, por exemplo, foi identificado com o deus-sol. O salmo 84:11 diz que Jesus é sol. Jesus é a Luz que alumia todos os homens (Veja Lc.1:78,79 e Jo.1:9).
Na basílica dos apóstolos muitos cristãos, identificando Cristo com o deus-sol, viravam seus rostos para o oriente a fim de adorá-lo.
Com o passar do tempo muitos outros costumes foram sendo introduzidos nas festividades do natal. 
 O papai Noel, por exemplo, é uma representação de São Nicolau, um santo da Igreja Católica Romana. O presépio foi inserido por São Francisco.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

O Pacto de Aaron

Quero convidar à todos para conhecer a página do Facebook do meu livro "O Pacto de Aaron" que será lançado no Brasil e em Portugal simultaneamente em Fevereiro de 2013.
 
Acesse para ler trechos do livro, apresentação e atualizações.
 

domingo, 18 de novembro de 2012

Quem é Quem no Céu, na Terra e no Inferno.


Por J. R. R. Abrahão 
(Escritor, Advogado e Jornalista)


Quem é Quem no Céu, na Terra e no Inferno...!!!

Deus amorfo, incorpóreo, incompreensível, nem sabe de nós...
É muito além de nossa compreensão e portanto inatingível para nossa percepção encarnada e embutida.
Ele se manifesta como Adonai, o mais Alto que nós podemos e jamais poderemos alcançar e compreender.
Há um "Deus-Menor", o Demiurgo, conhecido por diversos nomes em diversas culturas e religiões, que energéticamente se situa na Esfera de Saturno e de lá emana seus influxos e que é o "Deus-Criador", o Deus que criou o Mundo Manifesto em seus infinitos e infinitesimais detalhes.
As pessoas comuns, os não-Iniciados, rezam, oram, imploram para Ele e pouco, ou nada alcançam, quando mesmo não obtém o exatamente oposto do desejado!
É que o Demiurgo é o que se poderia chamar de um "Deus-Néscio", e a forma de peticionar a ele é sui-generi... "Oh, querido Deus, seria tão bom que eu alcançasse isso..." ou "Eu ficaria tão feliz, amado e adorado Deus, se obtivesse aquilo..." ou mesmo "Meu muito amado Deus, seria tão legal se tal coisa acontecesse..." - isso mesmo, sutis sugestões, nada de choradeira, gritos, murmúrios, coisas que Ele no mínimo não entende e no máximo O irritam!
Deus - há de se conhecê-lO!
Por isso que se diz na própria Bíblia Sagrada: Deus é Uno e é Trino...!
Satanás é a Entidade que se "cria", se manifesta quando a oitava inferior do Demiurgo (Saturno) se "funde" (entra em processo de "acasalamento mágico-energético") - o masculino Satan e a feminina Satana. Esses dois regem o Mal, os maus, os atos maus; sua "criação" Satanás é quem "gera" as guerras e causa o "mal coletivo" (genocídios, catástrofes causadas pelo homem acidental ou propositalmente, de forma culposa ou dolosa).
No início do Século XX, a Astrologia costumava incluir em seus estudos dois foyers ou os assim-chamados "corpos-vazios": Lilith, a "Lua Negra" e seu consorte o "Sol Negro" - chamado originariamente de Satan!
Depois os astrólogos ocultaram sua denominação original, mas não sua malignidade...
Esse "Sol Negro", que no início do Ano Astrológico do Século XX (o primeiro dia de entrada do astro Sol no Signo de Áries, o início do verão) se situava a 12º do Signo de Câncer, "caminha" na Esfera Zodiacal 1º (um grau) por Século.
Enquanto a "Lua Negra" rege o lado sombra do comportamento individual humano, inclusive no que tange à sexualidade, desvios, "taras", etc., o "Sol Negro" mistura e confunde o comportamento dos indivíduos aos da coletividade em momentos de catástrofes coletivas, especialmente as causadas pelo próprio homem e particularmente as Guerras, Revoluções e similares.
Há quem faça Pactos com Ele (Satanás) e obtenha o que quer - com Satan e com Satana ídem, conjuntamente ou isoladamente. É claro que "é dando que se recebe" e tanto nos Pactos celebrados com Entidades Negativas (como neste caso) ou com Entidades Positivas (e isso é um fato real, embora pouco conhecido, que se possa pactuar com Entidades Positivas), quando se deseja obter algo, dever-se-á prometer em troca algo que a Entidade vê no interior transparente do interessado pactuante como estando dentro de suas possibilidades e disponibilidades de cumprir e, só assim, essa dará o que esse lhe pede; e se der o que lhe foi pedido, o compromisso estará selado e ao fim do período de vigência do Pacto (geralmente com o fim da vida terrena do pactuante) esse irá (sua Alma imortal será encaminhada voluntariamente ou sugada a força) para a Esfera de Poder da Entidade com quem celebrou seu Pacto e, junto daquele que o serviu em vida, será agora seu servidor, pelo tempo que só os Senhores do Destino, os Regentes do Karma, que igualmente residem na Esfera de Saturno, sabem contabilizar - e farão o pactuante, agora em outra realidade da existência, cumprir até que o último grão de areia devido termine de cair na ampulheta que mantém os registros de sua conta! Afinal, nada é de graça neste Planeta - nem em nenhum outro lugar do Universo!
No caso de passar muito tempo na Esfera da Entidade "protetora", o pactuante, sua Alma, perderá as qualidades peculiares e únicas da Alma humana (que a fazem igual à Divina) - sua Tetrapolaridade. Nesse caso, essa Alma involuirá, essa Alma deixará de ser uma Alma humana e passará a ser um Espírito daquela Esfera onde já passou tanto tempo. É a isso que se chama a Danação do Espírito!
Baphomet é o "centro" ou "parte inconsciente" de Saturno, rege as "massas", a humanidade e seus instintos, geralmente baixos... comer, beber, "meter", procriar, dormir, rir, chorar, se compadecer - ou ser piegas, escarnecer do sofrimento dos outros, desejar o mal alheio, invejar e cobiçar o que os outros tem, mas nem de longe se esforçar para conquistar, etc...
Rege as pessoas comuns, não más, mas também não especialmente boas aos olhos Divinos, pois que em nada contribuem de fato para a Sua Obra.
Muitos fizeram Pactos com Ele mas quer me parecer que não tenham obtido os melhores resultados, conforme inúmeros registros históricos...
Há muitos Ocultistas, entre famosos e desconhecidos, que fizeram Pactos com Baphomet, mas aparentemente não obtiveram o que desejavam: citaremos apenas um caso público e notório, o do Mago e escritor alemão Adolf Hemberger (* 04/11/1929 Odenwald, Alemanha - + 10/01/1992 Bad Homburg, Alemanha), um antigo integrante da Fraternitas Saturni, cujo heterônimo era "Dr. Klingsor", tendo como obra mais conhecida o livro "Experimental-Magie" (publicado em 1976 por Schikovsky Publishers, Berlin, Alemanha). Sendo um etilista crônico, diversos relatos informam ter ele se inteirado de estar acometido de cirrose hepática, quando então buscou a cura por meio de um Pacto com Baphomet, não tendo, entretanto, logrado êxito. Mais detalhes podem ser encontrados por toda Internet.
Diversas Ordens Mágicas e Sociedades Secretas elegeram Baphomet como seu patrono, só para se verem desprotegidas, bem como a seus membros, nos momentos quando essa proteção era mais necessária. Historicamente  várias dessas Associações de inspiração Saturniana que recorreram à Egrégora Baphomética como seu "protetor", assim como diversos de seus Mestres e integrantes, parecem terem padecido desses mesmos males, como pode ser confirmado por alguns relatos de ex-membros e de informantes por toda Internet.
Vide os Templários, para se ter um exemplo maior - Baphomet não os protegeu quando mais precisaram, e foram totalmente destruídos!
Lúcifer é a Oitava superior do Demiurgo, a "Estrela da Manhã", o Portador da Luz, quem trouxe a inteligência ao autômato, o "boneco de barro" criado por Adonai.
Desceu à Terra para ser o Imperador, para regê-la por determinação Divina, por ordem de Adonai, e não "caiu", como se interpretou erroneamente através de traduções equivocadas de textos antigos que se perpetuaram por tanto tempo!
O Imperator Lúcifer é um aliado e um servidor de Adonai (Deus) e nunca, jamais, seu opositor!
Faz aqui, na Terra, o que foi designado a fazer por Deus há muito tempo!
E o faz com soberba maestria!
Há quem com ele celebre um Pacto, e obtém o que deseja - Poder!
Mas há de saber usar esse Poder com muita responsabilidade e para o que for justo e correto, para ajudar a terminar a Obra de Deus, e não para satisfazer a meros caprichos! Usar de um grande Poder como Moisés o fez... senão...!!!
Ele rege o lado CERTO - e o que é certo? Vc pede e obtém, Vc dá e recebe, Vc faz para os outros e recebe na mesma moeda, Vc planta o Bem e colhe o Bem, Vc planta o Mal e colhe o Mal, tudo o que se fizer terá volta, seja boa, seja ruim...
Quem planta batata, colhe batata; quem planta chuchu, colhe chuchu... mas... quem panta vento, colhe tempestade!
O Poder vicia, cega, enebria, é perigoso! E pode destruir quem o detém e o usa mal, ou em demasia! Ninguém pode julgar-se plenipotenciário sob pena de auto-destruição imediata!
O célebre Presidente Norte-Americano Abraham Lincoln certa vez proferiu a seguinte frase, que se tornou famosa mundialmente: "Quase todos os homens são capazes de suportar adversidades, mas se quiser por à prova o caráter de um homem, dê-lhe poder."
Mas há também um Diabo...!
E há quem Pactue com "Ele"!
É o "Sombra" - a sombra de Deus, o vazio, a ausência da Divindade, as conchas sem vida, as esferas da Árvore da Vida sem vida, a Árvore da Morte, o vazio, a ausência de Luz...não é o Inimigo de Deus, pois isso não existe visto que Deus criou tudo quanto existe e não criou um Inimigo seu... é a ausência de Deus... um lugar onde não há Deus... na verdade, "lá" não há nem sombra de Deus...
Lá, nesse lugar vazio, o "vazio onde nada existe", chamado pelos padres radiestesistas franceses de "o vazio da fossa" ( o que equivaleria a um lugar como o nosso popular "quinto dos infernos"!), composto de diversas nuances de completa e complexa escuridão infinita e tenebrosa mas sempre ocupado por sombras do passado, cascarões do que se pensou e agiu, fantasmas dos que se foram mas permaneceram presos e atormentados permanentemente atormentando, medos com profundas raízes, sussurros arrepiantes, gritos de horror, a mescla do calor da fornalha que nunca se apaga com o frio do mármore mais gélido que se possa imaginar, esse lugar caótico repleto de ilusão e tormentos, uma verdadeira ilha de pesadelos  isso que se chama singularmente de Qliphah e no coletivo de Qliphot, que se pode traduzir do hebraico livremente como "concha vazia" e "Árvore da Morte" (em oposição à Cabalística, hieroglífica "Árvore da Vida" e suas Sephira no individual e Sephiroth no coletivo), que tem habitantes espirituais, Entidades ditas Qliphóticas, cuja manipulação e controle somente Iniciados nos Círculos do Poder podem intentar, ainda assim correndo riscos, tem um nome: INFERNO!
Mas TUDO e TODOS se CURVAM ao Nome Sagrado de ADONAI - e a nenhum outro!!!
ADONAI, a Tí me curvo, meu Senhor, humildemente!

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Por que se eu tenho o dom da cura, só faço o bem, minha vida é desastrosa?


Por Francisco Marengo

Possivelmente o que vou lhe falar, chocará num primeiro instante e logo em seguida, você vendo os acontecimentos ruins em  sua vida e reflexivamente com outras pessoas sua volta, começará a compreender. Todas essas modalidades de cura, inclusive o próprio espiritismo em suas modalidades de passes magnéticos e invocação de falecidos, processos de desobsessão, são extremamente perigosos e perniciosos para o ser humano quando há falta de compreensão da fenomenologia esotérica e seus limites.
Note que o ser humano tem um tônus vital que o mantém vivo, que poderíamos chamar de energia vital. Essa energia vital é gerada através de absorção do Prana (força solar) e da Kundalini (força motriz que impulsiona a vida e flui do centro da terra) através dos chakras no 2º corpo mais denso chamado de corpo etérico ou duplo etérico e serve para irrigar de energia ao 1º e mais denso corpo, ou seja, o corpo físico, motivado emocionalmente pelo 3º corpo mais denso - o corpo astral ou veículo das emoções. Essa energia vital não tem a função única de irrigar o corpo físico para a manutenção da vida, essa energia vital é também empregada em tudo em nossa vida, nos relacionamentos, no trabalho, enfim em tudo.
Quando a pessoa começa a fazer uso de práticas bioenergéticas, passes magnéticos, e outros quetais, ela automaticamente drena de sua própria energia ou tônus vital para transmitir a uma terceira pessoa. Note que a ocorrência mais comum nos terreiros e centros espíritas é o indivíduo "tomador de passe". Ele vai, retorna de novo, e de novo, e vai de novo, já tal como um viciado em drogas, que se habitua a drenar energia alheia para viver, ou sobreviver. Se isso lhe faltar, sua constituição anímica cuidará de drenar energia alheia das pessoas que estão a sua volta, sem que essa o saiba. É normal que pessoas sensitivas sintam um peso quando perto desses indivíduos, e daí dizem erradamente que o indivíduo está "carregado" quando na verdade ele está sim "se carregando" ou drenando sua energia, o que gera a vítima cansaço, bocejos, dores de cabeça, etc. Está aí criado o "vampiro energético inconsciente".
E o processo além de ser errado, vai mais longe. Todas as pessoas estão presas sob o que chamamos de Círculo Kármico ou Roda de Samsara. Este círculo existe para que a pessoa possa aprender, ou seja, se imaginarmos uma escola primária, o aluno repetente refaz o ano, até se defrontar com aquela matéria que teve dificuldade, e daí é por conta dele, ou ele a aprende por seu próprio esforço, ou ele retornará novamente. De repente, chega alguém e lhe permite a cola, e aquele indivíduo, passará a ser incompleto, pois nunca de fato conseguiu aprender aquela matéria. Note que essa metáfora do estudante explica exatamente o que acontece na vida da pessoa que precisa aprender por seus próprios meios a se curar, em especial a se reenergizar.
Então, a grosso modo, nos passes mediúnicos, além de você dividir o karma alheio sem o saber, ainda estará contribuindo para criação de vampiros energéticos. Os passes e até  mesmo as curas espirituais, até podem ser usados, mas em condições extremas, muito especiais, e não tolamente em qualquer indivíduo.
Por que estou falando tudo isso? Simples, porque tenho um exemplo bastante forte de quão é pernicioso curar as pessoas ou transmitir-lhes tônus vital. Esse exemplo sou eu mesmo, que dos 19 aos 27 anos entre muitas outras coisas, fazia curas espirituais coroadas de sucesso de forma incansável e semanal, porém, trazendo resultados ruins para minha vida, em função de tudo isso que citei. E note que tinha 33 médiuns me acompanhando, entre eles médicos, etc., e minha vida mesmo assim virou um inferno, uma pelo grande número de pessoas que me procuravam, a qualquer hora do dia e da noite, mesmo tendo dia e data para os eventos de cura, e outra porque profissionalmente nada dava certo, e esse é preço por querer "dar o peixe sem ensinar os outros a pescarem". E quantos por aí não vivenciam o mesmo problema?
Se não bastasse isso, tecnicamente falando, são necessárias 72 horas para repor o nosso tônus vital, depois de uma noite de passes espirituais, sem falar que nesses ambientes repletos de pessoas despreparadas e sem conhecimento mais profundo de energias, abundam larvas astrais e outros seres que se banqueteiam festivamente a custa dos ingênuos. Só há fome no Universo.
Isto sem falar, que conforme eu disse antes é o corpo das emoções que motiva a vida, e nos impulsiona para frente. Porém, quando a pessoa experimenta, já bem influenciada por maus espíritos, sintomas de depressão, desânimo, culpa, ódio, e demais sentimentos ligados ao ego inferior (egoísmo, egocentrismo, etc.) ela desequilibra seus chakras e abre brechas em sua aura energética permitindo-se ser vampirizada.
Sua estrutura anímica, nesse caso, estará poluída por seres desde os menos esclarecidos, aos mal intencionados, que fazem da sua vida um verdadeiro inferno mental e astral, sem o que ainda prejudicam o seu relacionamento, sua vida, seu trabalho, pois transformam um copo d' água num furacão.
Este ensaio serve para lhe dar um alerta, pois muitos estudantes do oculto com esses modismos mal fundamentados, além de pegar o trem errado ainda o pegam na direção errada. Aqui na E.I.E.  nós trabalhamos com a Tradição Esotérica, como o nome sugere, uma Tradição milenar, de modo que não precisamos inventar a roda, para atribuir-lhe outro nome, quando ela já existe a milênios. Muitos se encantam porque acham que é bonitinho dar passes e tirar dor de cabeça. Porém, não têm consciência daquilo que deflagram de forma não intencional e desastrosa em suas vidas, além de atraírem processos de magia contrária que só são diligentemente desmanchados pelo Mago que se prepara para isso por anos a fio, através de práticas espirituais desde as mais brandas, até as mais severas.


sábado, 4 de agosto de 2012

Magia para se livrar de uma doença

Advertência: A E.I.E. não garante a cura de doenças, bem como não se responsabiliza pelas receitas citadas. Todas elas fazem parte da cultura popular. Recomendamos que ao sentir qualquer sintoma de qualquer enfermidade procure imediatamente um médico, deixando os remédios caseiros e rituais como alternativa e último recurso,  jamais trocar o tratamento convencional por tratamentos alternativos.

Para se livrar de uma doença
Pegue um caldeirão de ferro de pelo menos 1 litro. 2 velas pretas, 1 litro de água pura, fósforo, óleo de banimento, óleo de unção,   1 vela branca, 1 vela vermelha, incenso 7 ervas1 athame consagrado. (vc mesmo pode consagrar ou pedir que consagremos antes de enviar).
Vá  a um lugar bem distante por onde você não costuma passar. Preferencialmente  numa mata.
 Com o Athame trace um triângulo (a ponta superior voltada para o sul) no chão e coloque o caldeirão dentro do triângulo. Fique fora do trìângulo. Pingue 3 gotas de óleo de banimento em suas mãos e pegue a vela preta. Mentalize a doença saindo de você, através de suas mãos  e entrando na vela, como um fluxo de energia negra ou roxa. Mentalize até sentir que não há mais nada em você. Até que  se sinta bem, vá rolando a vela entre as mãos   com cuidado para não molhar o pavio. Então acenda a vela e coloque dentro do caldeirão. Encha o caldeirão com água, tomando cuidado para não derrubar a vela. Acenda a vela e dia:
- Pela força dos quatro elementos e com a benção da Grande Mãe Universal, a Grande Deusa Mãe do Mundo, eu estou curado.  Eu entrego esta doença, no caldeirão Sagrado da Grande Mãe para que esta energia  nociva seja transmutada em saúde. Eu, tenho plena consciência  de que todo mal que me aflige se extinguirá com a chama desta vela.
Então acenda ao sul  a vela vermelha,  coloque 7 varetas de incenso ao redor do triângulo formando um círculo,  ao norte coloque um punhado de sal grosso e pingue neste sal  3 gotinhas de óleo de banimento. Mentalize bem, agradeça aos elementais e à Grande Deusa e vá embora.
Ao chegar em casa, pegue o athame e passe ao seu redor como se tivesse cortando toda energia negativa, para que não te acompanhe e nem entre em sua casa.  Ao entrar tome um banho de  limpeza completa - Abre Caminhos, coloque uma roupa clara e defume toda a casa com Defumador Palo Santo, dirija-se a um local silencioso e calmo. Acenda um incenso de Mirra.  Unte uma vela branca e uma vela preta com o óleo de Unção, ofereça-as aos Deuses Antigos, à Grande Deusa e o Grande Deus, você pode escolher os nomes  de acordo com o Panteão de sua preferência. (Pan e Gaia, por exemplo). Agradeça pela graça alcançada.

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

O DESPERTAR DO DRAGÃO


Talvez, ao se deparar com o título deste curso você conclua que o tema esteja já bastante abordado e até ultrapassado. Mas, eu te garanto que este curso não é mais um tema clichê do qual você já se cansou.
Eu sei, os Dragões fazem parte do subconsciente da humanidade, exercendo sobre nós certo fascínio. Os Dragões servem de tema para diversos filmes, ilustram o corpo de muitas pessoas em forma de tatuagem e, infelizmente, muitas pessoas, fascinadas por sua imagem, batizam estudos superficiais sobre magia como Magia Draconiana. Outros, simplesmente trocam os nomes de seres elementais e outros seres por nomes de Dragões. Enfim, o que outros fazem realmente não nos interessa!
         A E.I.E. sempre se aprofunda nos mais estudos, não há superficialidade em nossos cursos ou em nossos trabalhos. Apreciamos de forma impreterível começar pelo início, ou seja, saber a origem do tema tratado. Por isso, neste curso mergulhamos no estudo da Mitologia Suméria, que é a base de todo o conhecimento que temos hoje sobre nossas origens, tanto do ponto de vista histórico, quanto filosófico.
Assim, nós avançamos degrau acima de tudo que foi dito até hoje, visto, ou resumido em forma de práticas. Nós fomos em busca dos 07 Ciclos do Poder da Antiga Ordem do Dragão em sua teoria e prática, nós pesquisamos as origens desses seres míticos nas mais diversas culturas e acreditamos que o resultado final desse curso, foi trazer nossos alunos a uma viagem fantástica pelos Reinos de Tiamat. O curso não se resumirá a teoria, enveredaremos pelas práticas antigas e conheceremos o terrível, mágicko e misterioso segredo da Magia do Dragão, do seu sopro abrasador e de seu toque. Seja você também tocado por essa Magia, a E.I.E.  espera por você para levá-los a um mundo estranho e mítico, exatamente lá onde os cavaleiros, as fadas e os demônios existem de fato, onde a única lei que impera e é respeitada é o antigo Código dos Cavaleiros da Ordem que se encarregam de fazê-la cumprir. Bem vindos ao Despertar do Dragão!
Reserve sua vaga, dia 11 de agosto, sábado, às 13 horas - na sede da E.I.E. Caminhos da Tradição, para maiores informações vide: http://www.cursosdemagia.com.br/dragao.htm

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Hoje é dia de Pan!

Afrodite, Eros e Pã - 100 a.C - Artista desconhecido

Há milhões de anos, todos os continentes da Terra estavam unidos em um só bloco chamado Pangeia,  palavra originalmente grega (Pân= Todo, inteiro) exprimindo a noção de totalidade, universalidade e Terra (gea) ou Geia, Gaia ou Ge como a Deusa que personificava a terra com todos os seus elementos.
Esta foi a era Mesozoica aproximadamente duzentos milhões de anos atrás. O nome Mesozoico é também de origem grega e refere-se a 'meio animal' sendo também interpretado como "a idade medieval da vida".
O Deus Pã, tornou-se símbolo do Universo e está diretamente ligado à natureza, é o Deus que fecunda a Mãe Natureza, Gaia, gerando a vida em todas a sua biodiversidade. Pã é sinônimo de fertilidade e prosperidade.
Na Mitologia Grega Pan era o  era o deus dos bosques, dos campos, dos rebanhos e dos pastores.  Residia nas florestas e passava o tempo tocando suaves melodias em sua  flauta, dançando com as ninfas ou caçando.
Para os Romanos Pã era Lupercus, Lupercio ou Silvano. Os Romanos erigiram um Templo a Pã e todos os anos comemoram o festival na data de sua fundação, nos dias 15,16 e 17 de fevereiro. Os Sacerdotes que o cultuavam vestiam-se com peles de bode.
Pã não deve ser confundido com os faunos ou sátiros, pois estes eram semi-deuses, portanto seres mortais.
Há diversas histórias e lendas sobre Pã, uma delas conta que Zeus criou a constelação de Sagitário em sua homenagem devido à sua grande inteligência. No entanto algumas passagens especiais nos chamam a atenção, como por exemplo trechos do Cântico dos Cânticos cuja autoria é atribuída ao Rei Salomão:

SEGUNDO CANTO

Primavera de amor

Ela.
8 Atenção! É o meu amado:
eis que ele vem saltando pelos montes,
transpondo as colinas.
9 O meu amado parece uma gazela,
uma cria de gamo,
parado atrás de nossa parede,
espiando pelas janelas,
espreitando através das grades.

É mais que evidente que este trecho e todo o conteúdo do Cântico trata-se de uma obra escrita em homenagem ao Grande Deus Pã.

Na Mitologia brasileira Tupã representa o Deus criador de todas as coisas, é o sopro da vida, e o homem a flauta em pé, que ganha a vida com o fluxo que por ele passa. Sua voz é ouvida através do Trovão ou Tupã-cinunga, cujo reflexo luminoso era Tupãberaba, ou relâmpago.

Coincidências à parte, Tupã está relacionado com a flauta de Pã, com o sentido de Deus criador de todas as coisas. Na Invocação do Espírito Não Nascido há um trecho que diz:


Eu sou Ele! O Espírito Não nascido!
Forte fogo immortal!
Eu sou a Verdade!!
Eu sou Ele de onde se origina todo o bem e todo o mal!
Eu sou Ele, relâmpago e trovão.   
Eu sou Ele, de quem brota a vida na terra.
Eu sou Ele, de cuja a boca saem labaredas.
Eu sou Ele! Sou a maior manifestação da Luz e das Trevas!
Eu sou Ele! A Graça do mundo!

Outra citação interessante é no Ritual Rubi Estrela é que após diversas evocações de Deuses Egípcios aponta para Pan como a criança prometida ao invés de Hórus. Pan é um Deus Universal, primitivo, criador de todas as coisas. Por isso I.O. Pan quer dizer que da União de Isis e Osiris nasce Pan, na forma de Hórus, o Rei dos Céus, o Falcão cujo um Olho representa o Céu e o outro representa a Lua.
Nas religiões Pagãs, o Deus, apresenta três aspectos, irmão, filho e consorte da Grande Deusa. Irmão porque ambos nasceram ao mesmo tempo, consorte e filho, porque ao engravidar a Deusa no Solstício de Inverno ele morre deixando a sua semente no útero da Grande Mãe para voltar a nascer na primavera.  
Dianus Lucifero, irmão gêmeo, filho e consorte da deusa Diana, é o senhor da luz e do esplendor.
Lucifero ou Lúcifer é o antigo nome do deus Romano do Esplendor. senhor da Estrela Matutina e Vespertina. Foi posteriormente transformado em diabo pelo cristianismo.
Dianus Lucifero (Divino Portador da Luz) também é conhecido como Dis em seu aspecto de deus da Morte e do além Mundo e Lupercus em seu aspecto de Criança da Promessa, portador da esperança e da Luz.
Dianus Lucifero é dotado de três aspectos:
O Cornífero: senhor das Florestas Selvagens e deus da Fertilidade, Sexualidade, Vida e Morte.
O Encapuzado: senhor dos Campos e das Plantações. rei da Colheita e senhor da Flora; Rex Nemorensis; semelhante ao Greenman dos celtas.
O Ancião: senhor da sabedoria e Guardião dos santuários.
O Culto da Stregheria ao deus Dianus Lucifero está intimamente ligado aos antigos Mistérios do deus Etrusco Tagni, e aos deuses Clássicos como Pã, Baco, Dioniso e Apolo.


Vamos comemorar, porque hoje é o dia de Pã! Io Pã...
Se você chamar ele virá...
Por toda parte ele está, tocando sua melodia encantada...
Chama, chama que ele vem...
Pã é amigo das bruxas...
É só chamar que ele vem, animal e homem, Deus enfim...
Venha Pã, venha Pã... Traz a sua Magia pra mim, em mim!

Sóror Fortuna

domingo, 29 de janeiro de 2012

Sobre Rituais de Prosperidade, pergunta de estudantes:

Sobre Rituais de Prosperidade, pergunta de estudantes:


Estudante: Referente aos pactos e rituais de prosperidade realizados pelo Grupo Caminhos da Tradição: 
Não estaria relacionado com magia negra, pois ao invés de cumprir a vontade divina estaria cumprindo a própria vontade da pessoa? 
Não estaria passando sobre a lei dos Senhores do Karma (Anúbis e seus 42 regentes) no qual julgam nosso destino e conforme nossa balança de boas e más ações nessa e em outras existências, julgam se teremos ou não uma vida com mais ou menos conforto?
Por qual razão que esse pacto está relacionado a magia branca e não está passando por cima da lei divina?


--------------------------------------------------------------------------
Francisco Marengo: E acaso a Vontade Divina não seria aquela que fosse a Verdadeira Vontade daqueles que de coração puro encontraram a verdade e o caminho para auto superação material?


Não deveriam estar mais preocupados os tais Senhores do Karma em medir os atos dos corruptos, os atos dos inescrupulosos, os atos dos assassinos, dos invejosos, dos criminosos, dos maledicentes ou dos pedófilos?


Não seria uma atitude fatalista e materialista achar que ao homem também não é dada a oportunidade de trabalhar com a totalidade dos mananciais cósmicos a disposição daqueles que alcançarem realmente essa compreensão?


Como se isso não bastasse, os mais diversos sistemas mágickos falam sobre a transmutação interior, e que uma vez atingida tal maestria, como por exemplo, no sistema de Alta Magia da Sagrada Magia de Abramelin é dito que é devido àquele que atingiu a maestria uma porção de benesses materiais suficientes para que não tenha mais preocupações e possa de fato cumprir a Grande Obra. E não poderia um Sábio rico ajudar muito mais que um pseudo sábio pobre?


Meu caro, você é o senhor do seu destino e o Poder Criador é nosso mantenedor, Ele é Aquele que nos proporciona a possibilidade de continuidade para a busca da Luz, do Conhecimento e da Compreensão.


Ter dinheiro não é ruim, ruim é não ter com que pagar as contas no fim do mês, ruim é não poder prover a família de suas necessidades mais básicas e imediatas e descobrir que energias contrárias estão atrasando o seu progresso.


Ruins são as injustiças sociais que limitam a capacidade de crescimento do ser humano chegando até mesmo a lançá-lo numa subvida. Nenhum homem vem à Terra para sofrer, se sofre é porque cria o seu próprio inferno. São suas limitações que impedem seu crescimento, seus medos e suas incertezas.


Normalmente o homem representa o Arcano do Louco, que carrega em sua algibeira todo o conhecimento que necessita e que está pronto para dar o próximo passo, mas como esse próximo passo pode representar uma queda rumo ao abismo até então desconhecido para ele, ele cria suas incertezas, ou se apega ao conformismo, ou mesmo aos seus preconceitos religiosos. Todos essas incertezas são como demônios interiores que lentamente devoram suas entranhas e que impedem o homem de sua superação e de atingir a totalidade do ser.


Mas, haverá àqueles que pelo contrário, darão o próximo passo. Sim, porque este caminho é feito para aqueles que tem a coragem de Saber, de Ousar, de Querer. E, como esse desejo deve partir de cada um, aquele que ousou também precisa Calar para que outros consigam por si próprio estabelecer suas prioridades, e finalmente tomar a decisão de dar o próximo passo sem medo de ser feliz.


Ou então, poderão recuar, continuando sua vida inspirada por falsos conceitos que somente embotam seu espírito escondendo sua luminosidade e sua capacidade de ser um iluminador também, por simplesmente preferirem ser como um Sol que esconde seu brilho atrás de uma montanha.
Se tens o coração puro em seus atos meu caro, esteja certo que eles estarão também sob os auspícios e bençãos de Adonai e do Poder Criador.


Lux et Sapientia!


Frater Magister

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Papai, mamãe... Socorro!



Papai, mamãe... Socorro!
Por: Sóror Fortuna

A infância é uma fase muito especial de nossa vida. Neste período a nossa mente ainda está livre e acessível para assimilarmos tudo o que o Universo nos permite. Por isso a clarividência nas crianças é muito mais acentuada do que nos adultos. A criança percebe as coisas sem fazer julgamentos. O adulto busca uma explicação e quando não a encontra começa a duvidar até daquilo que viu: –“Deve ser coisa da minha cabeça.” Conclui e encerra o assunto por aí. Outro motivo pelo qual, entidades do astral buscam muitas vezes se comunicar com as crianças.
Eu, particularmente, tive uma infância e adolescência horrível, mergulhada em puro terror. Não desejo isso para nenhuma criança no mundo. Hoje, uma pessoa leiga no assunto me disse coisas que me impulsionaram a escrever este texto. Ela me disse:
- Minha filha vê espíritos, e instantaneamente sente dores horríveis nas costas e começa a sentir-se mal.
- E o que você faz quando isso acontece? - perguntei.
- Lhe dou um analgésico e digo para ela se deitar.
Meu Deus! A filha está sendo atacada astralmente e a mãe lhe dá analgésicos e manda deitar? Isso só vai piorar a situação, a menina vai ficar ainda mais vulnerável aos ataques! O analgésico vai lhe dar sono e quando dormimos estamos mais sujeitos aos ataques do que acordados, além do que, o analgésico não vai fazer efeito sobre a dor. O principal ponto de nosso corpo por onde os vampiros astrais sugam nossa energia é exatamente na coluna vertebral, por isso a menina sente dores nas costas.
As crianças pequenas e as adolescentes, especialmente as meninas no período da puberdade são as principais vítimas. Geralmente, assustadas, ou com medo de serem chamadas de loucas ou repreendidas pelos pais, as crianças tendem a não falar sobre o assunto. Por isso é muito importante observar os seus filhos.
Quando os bebês choram muito à noite sem motivo aparente, como cólicas, dentes nascendo, fome ou por estarem molhados pode ser que alguma coisa o está perturbando. Faça o seguinte:
Mantenha sempre uma luzinha fraca no quarto, evite a escuridão total. Mantenha sempre o quarto do bebê protegido fazendo banimentos e selando o ambiente todas as noites. É importante manter o quarto do bebê sempre transmitindo paz, pois além das entidades perturbadoras o bebê pode também ser incomodado por energias nocivas de preocupações diárias e brigas no ambiente.
As crianças entre um e sete anos às vezes apresentam quadros complicados. Se tornam birrentas e choronas excessivamente. Muitas vezes a gente pergunta e elas não respondem a verdade com medo de serem repreendidas pelo espírito obsessor. É preciso usar um pouco de psicologia infantil para tirar algumas respostas delas. Observar os desenhos, fazer perguntas sobre eles e se interessar por suas histórias é o primeiro passo. Invente histórias, diga que você tinha um amigo invisível e pergunte se a criança também tem. Observe se a resposta é espontânea ou se ela olha em alguma direção antes de responder. (Como se observasse alguém que lhe aprovaria a resposta ou não). Observe-a quando está sozinha. Como ela brinca, se há mais alguém brincando. E, quando ela vier à noite com medo ouça-a! Jamais diga:
- Você estava sonhando!
- Isso é coisa da sua cabeça!
- Estas coisas não existem!
- Vá pra sua cama, feche o olho e dorme!
Estas respostas só vão afastá-la mais de você e dificultar a identificação da entidade que está atormentando. Além disso, neste momento ela precisa de seu apoio e não de ser chamada de louca, boba e nem de ser tratada como um incômodo no meio da noite. Sei que muitas vezes você estará cansado e morto de sono, mas é seu filho!  Imagine o horror de uma criança com medo sozinho num quarto escuro! Levante-se, vá até o quarto dele, sinta a energia do local, acenda as luzes e mostre que não tem nada, ou então, mande a entidade embora e diga: - Fique tranqüilo, ele já foi embora! Conforte-o da melhor maneira que você puder. Mesmo que o medo seja algo somente da imaginação dele é ruim e pode afetar a personalidade dele quando adulto.
Nem tudo no plano astral são flores e, apesar da pureza das crianças nem tudo o que se aproxima delas são coisas boas. No Universo só existe fome! Todos os tipos de vida estão lutando pela sobrevivência e muitos seres vêem a este plano para sugar a nossa energia. A melhor forma de sugar a nossa energia é desequilibrando-nos. E a forma mais rápida de nos desequilibrar é assustando-nos. Por isso, existem assombrações que assustam as pessoas, pois no momento do susto liberamos grande quantidade de energia vital. E, agora que você já sabe disto eu te pergunto:
- Existe uma vítima melhor do que uma criança sozinha num quarto escuro sem nenhum apoio dos pais?
Não, é o alvo perfeito. A pobre criança está entre a cruz e a espada. De um lado os espíritos e de outro pais ameaçadores!
Acontece também de aparecerem entidades que são pessoas que querem dar recados aos vivos e até guias espirituais, mas de qualquer forma a criança se assusta e não tem a mesma qualidade de vida do que uma criança que dorme bem a noite inteira. Isso pode deixá-la sonolenta durante o dia, nervosa, antisocial, revoltada com os pais e até interferir no aprendizado escolar.
Dos oito aos doze anos de idade a tendência é diminuir um pouco as visões ou desaparecerem. Mas em muitos casos isso não acontece, porém os pais não percebem porque as crianças preferem não falar mais no assunto, pois já sabem que não terão apoio.
Após os doze anos de idade é um período complicado, principalmente para as meninas, pois a tendência é que as visões voltem e a experiência é ainda pior do que na infância. Nesta fase os adolescente vêem e sabem que aquilo não faz parte deste mundo. Podem se assustar a ponto de ter de tomar calmantes ou muitas vezes, enganadas pela entidade obsessora fazem tudo o que a entidade sugere. Há ainda aqueles que não vêem a entidade, mas são suscetíveis à elas fazendo todos os seus desejos. Observe o comportamento de seus filhos, muitas vezes você pode pensar que estão andando em más companhias, mas não. Adolescentes que se isolam, que sofrem de depressão, angústia ou tem comportamento estanho com dupla personalidade podem estar sendo vítimas de ataque astral. É claro que um médico psiquiatra ou psicólogo deve ser consultado, mas é importante observar conjuntamente o lado espiritual pois o corpo, a mente e o espírito necessitam estar em perfeito equilíbrio. Geralmente, quando os adolescentes estão sendo atacados astralmente os pais sentem aversão por eles, como uma necessidade de ficar longe. Isto porque a entidade quer que você se afaste e não perceba o que está de fato acontecendo. Nesta fase eles podem tomar atitudes estranhas ao comportamento familiar, usar drogas e bebidas em excesso e até roubar sem necessidade e praticar atos que você acredita que é para chamar atenção ou culpa das amizades.
É importante cuidar da espiritualidade de nossos filhos desde pequenos. Entender o que está acontecendo ao seu redor é muito importante para o ser humano. É o primeiro passo. Depois é importante aprender a lidar com estas energias. Em alguns casos, onde a criança estava sofrendo por ação de um obsessor, um ato mágicko ou um trabalho de limpeza astral pode resolver, mas em outros casos onde a criança possui uma mediunidade aguçada, ela precisará cuidar, desenvolver e aprender a lidar com isso pelo resto de sua vida. A mediunidade pode ser um dom que irá ajudá-la em todos os aspectos, físicos e espirituais durante a sua encarnação ou pode ser uma maldição que irá destruí-la e levá-la a loucura. Tudo vai depender da forma em que se lida com ela.
     A infância é uma fase importantíssima, aquilo que se aprende na infância fica no subconsciente e pode se tornar no futuro uma porta aberta para o sucesso e a felicidade ou uma porta fechada criando bloqueios psicológicos que talvez ela nunca consiga superar na fase adulta. Olhe bem para os seus filhos, o que você deseja para eles quando forem adultos? Você está plantando a sementinha agora, cuide bem dela!

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Todos os desejos podem se realizar!



Hoje está um lindo dia para deixar todos as desculpas de lado e dar o primeiro passo em direção à sua felicidade.
Guarde hoje a sua primeira economia para adquirir aquele sonho de consumo que você sempre teve...
Comece a dieta hoje!
Organize o seu espaço ainda hoje!
Peça desculpas e perdoe hoje!
Hoje feche as portas do passado e abra as portas para o momento presente, dando novas oportunidades a si mesmo e aos outros.
Experimente o novo, deixe o medo para trás!
As novas experiências te trarão mais conhecimento, sabedoria e abrirão um novo Universo diante de seus olhos, não tema!
Não lamente pelas coisas que ficaram no passado, elas não foram em vão, estavam te preparando para que hoje você estivesse realmente preparado para ser feliz …
Ser feliz não é ter uma vida fácil.
Ser feliz é ser forte, olhar para trás e ver quanta coisa se fez, quanto chorou, quanto sorriu, quanto lutou, quanto perdeu, mas nada te derrubou, você está aqui, lendo estas palavras e sabendo que é uma pessoa vitoriosa, cheia de histórias, de amores e com o peito transbordando de emoção você sabe que está pronto para continuar, você agora já sabe o que quer e daqui pra frente vai ser bem melhor!
Se você for estipular uma data para ser feliz, que seja hoje!