quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Um presente da E.I.E. para você!



Até o dia 31/12/11 a E.I.E. está presenteando à todos com o Curso de Autoconhecimento Místico  on line.


Detalhes:

http://www.cursosdemagia.com.br/autoconhecimento.htm


Para ganhar o seu presente basta se cadastrar em nosso site no seguinte link: http://www.cursosdemagia.com.br/cursos

Em seguida, envie-nos um email de preferência com o mesmo cadastrado no site colocando no assunto: “Quero meu presente de natal!” o curso será liberado o mais rapidamente possível para você.  Como obviamente receberemos muitos emails, pedimos que tenham um pouquinho de paciência para aguardar a sua liberação.



Detalhes:


Além disso, nas compras acima de 150,00 você ganha inteiramente grátis a tradução do “Grimório Secreto de Turiel” on line também.




A E.I.E. Caminhos da Tradição deseja à todos uma Feliz Saturnália e um 2012 repleto de realizações.

Que os Deuses Antigos derramem seu amor, luz e bênçãos plenas sobre a Terra e que este poder criador ilumine e preencha os corações de todos os seres humanos com  muita paz e harmonia.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Todos nós queremos...

Assista o vídeo aqui:



Todos nós queremos...
Sóror Fortuna

Todos nós, desde o momento de nosso nascimento estamos correndo contra o tempo, não podemos nos dar ao luxo de ignorar este fato.

Eu não sou do tipo de pessoa que aceita as sábias palavras do mestre que dizem: “A resposta está dento de você mesmo”. Por mais que isto seja verdade, é de se esperar que um mestre dê ao menos uma pequena luz ao seu discípulo de por onde começar a sua busca, afinal, para que serve um mestre? Se ele não tem nada a te passar não pode ser mestre. E, se a resposta está dentro de você, então seja você mesmo o seu mestre!
E já que não existe mestre, o que você está esperando? Um Anjo anunciador das boas novas? Eu que não sou mestre de nada, somente uma pessoa precavida lhe aconselho: Age meu filho, porque você está por conta própria!  Se você está aqui no plano material supostamente há algum motivo importante para isso, e eu, tenho certeza que não é viver somente para a vida espiritual porque se assim fosse não precisaríamos de corpo físico. Receio, baseada em sólidos fundamentos que, aqueles que acreditam no contrário estão profundamente equivocados e estão cometendo um erro que, se não percebido à tempo, só poderá ser corrigido na próxima existência.
Hoje eu falo abertamente sobre coisas que  jamais falaria no passado com medo de ser chamada de louca. Eu, que vivi atormentada por espíritos e ao mesmo tempo em que os via, duvidava de minha sanidade mental, hoje digo, sem problemas que certo dia um Daemon me mandou ler a Bíblia, engraçado, mas é verdade!
Mas, se pensarmos bem, não tem nada de mais, a bíblia não é um livro santo, somente uma fonte de informações e os Daemons tampouco são inimigos dos Deuses, apenas seus servos como eu e você!
O Universo é fantástico, está em constante expansão em todas as direções e todas as dimensões ininterruptamente! Não é de se estranhar que existam seres mais sutis que nós e que eles mantenham contato conosco. Talvez você nunca tenha parado para pensar sobre o assunto, mas eu me dedico ao conhecimento do mundo oculto, fiz um profundo estudo astrológico, astronômico, físico, cabalístico e descobri tantas coisas intrigantes. Coisas que justificam a simbologia oculta com tamanha perfeição que não dá para imaginar como os magos da antiguidade descobriram determinados mistérios. Coisas que se pode observar hoje em dia com o auxilio da tecnologia. Como por exemplo, símbolos místicos relacionados com as órbitas dos planetas, como a ação dos planetas em relação aos metais em determinados momentos comprovando a seriedade dos horários planetários e suas influências sobre a Terra. A perfeição do hexagrama como símbolo Universal, as emanações cabalísticas ilustrando perfeitamente o nosso sistema solar, a ação dos quatro elementos, o triângulo de manifestação apontado para a Terra como o ponto de manifestação do Sistema Solar. Eis novamente a questão: O plano da Manifestação, é aqui e agora.
Existe vida, em todos os planetas do nosso sistema, no entanto, não dá forma que conhecemos. Todos estes espíritos planetários trabalham para o equilíbrio do sistema e especialmente para proteger o nosso planeta, porque, é aqui onde se há a oportunidade de se encarnar. Cada planeta possui uma função, Júpiter, o gigante, atrai para si todos os meteoros desviando-os da Terra. O nosso lindo satélite natural, a lua, capta todas as informações lá de cima e manda o recado direto para nossa mãe Gaia. Sim, eles estão todos vivos, são inteligentes e possuem seres inteligente que os habitam e os governam ainda que não os possamos ver.  E nós, seres terrestres ou terráqueos provavelmente já habitamos estes planetas e é por isso que nossos amigos e irmãos de outros planetas fazem contato conosco e nos ajudam sempre que podem, porque eles também precisam de nós e de nosso planeta.
É por isso, que eu lhe convido a conhecer dia 26/11/11  um Amigo Especial que tem nos ajudado muito a ser prósperos neste plano – porque viemos aqui para conquistar tudo aquilo que a vida pode nos oferecer de bom e reinar sobre a matéria, mas o tic-tac do relógio não pára e nem volta atrás, por isso toda ajuda é bem vinda!

Maiores detalhes:

E, se você tiver interesse em adquirir mais conhecimento sobre tais coisas estranhas que eu falei acima, de símbolos ocultos, de seres planetários e a forma de manter contato com eles então garanta  a sua vaga no curso de Goetia do dia 03/12/11 eu tenho certeza que este curso lhe trará muitas respostas para perguntas que parecem não ter solução!

Maiores detalhes:


quarta-feira, 9 de novembro de 2011


Renascer do Útero da Grande Mãe Cósmica

Sóror Fortuna



Muito se tem falado sobre o calendário Maia, muitas interpretações errôneas a respeito. Mas uma coisa é inegável, estamos num ciclo eterno de transformações. Tudo muda o tempo inteiro no Universo.

O alinhamento do Sol com o centro da Via-Lactea previsto para o dia vinte e um de dezembro de 2012 é uma acontecimento que só ocorre a cada vinte e seis mil anos. Porém um alinhamento galático não acontece em um só dia. Ele já vem acontecendo desde 1980 e só terminará em 2016.

De acordo com a mitologia Maia a Via Lactea representa a Grande Mãe Cósmica e em seu centro existe uma grande nebulosa negra que para os Maias representa o útero cósmico. De acordo com o calendário Maia, no Solstício de 21/12/12 (333) o Sol estará atravessando a Nebulosa Negra em determinado ponto que dará a impressão de estar nascendo novamente do “Útero da Grande Mãe”. Este alinhamento para os Maias representa o Ponto Zero no relógio cósmico ou seja o início de uma Nova Era.

É óbvio que este acontecimento se reflete em todo o sistema solar, com mais intensidade nos planetas mais próximos do Sol.

A Terra é o terceiro planeta mais próximo do Sol e têm cerca de 4,56 bilhões de anos. O homo Sapiens, surgiu na terra há aproximadamente 1 milhão de anos. E, há aproximadamente 4 milhões de anos já existiam os homens primatas. Podemos concluir desta forma, que tanto o Planeta Terra quanto os seres humanos já vivenciaram este período no passado sem se extinguir.

O alinhamento astrológico marca mais um ciclo na vida do planeta. Porém, este ciclo exige certas adaptações por parte de todos os seres vivos. Os animais, por instinto natural se adaptam à estas mudanças, mas nós, seres humanos temos maior dificuldade de nos adaptar. A nossa realidade atual nos afastou da natureza e consequentemente nossos sentidos mais sutis foram afetados. No entanto é inegável que mesmo inconscientemente o homem já vem sentindo os indícios desta nova já alguns anos.

Analise o que vem acontecendo com a humanidade desde os anos 80, não estou falando somente de avanços tecnológicos e nem quero falar de violência e criminalidade pois isto é o reflexo do aumento populacional. Estou falando do notável desenvolvimento mental do ser humano. Somos mais ecológicos, menos preconceituosos, mais naturalistas, mais preocupados com os animais do que nossos avós. Apesar de todos os problemas sociais, de modo geral o homem está mais consciente da necessidade de se preservar o Planeta. São os raios cósmicos provenientes do centro da galáxia que estão iluminando mais a mente dos seres humanos neste momento de proximidade. Estamos mais próximos da Divindade e o renascimento do paganismo, justamente neste momento, veio de uma necessidade interior que o ser humano tem de buscar suas origens, de ter contato com a natureza e se harmonizar com a “Grande Mãe Universal”. O homem ouviu o Seu Chamado, mais que nunca ele procura saber quem é e a que veio.

Nascer de novo, do Útero da Grande Mãe Universal, isso possui um profundo significado místico. Mas não pense que só por isso, os efeitos não se manifestam no plano físico, é exatamente o contrário. É momento de elevar a vibração mental, expandir a consciência, estar aberto para o novo – como um recém nascido. O Planeta Terra está transmutando as energias, está fazendo uma limpeza, é preciso evoluir a qualquer custo. As mudanças estão acontecendo a cada dia, você pode crescer com elas ou sofrer as conseqüências.



Como se equilibrar para passar 2012 de forma tranqüila e produtiva?

Durante os meses de novembro e dezembro estaremos disponibilizando um atendimento específico para esta área. Este atendimento poderá ser feito presencial ou à distância.

O procedimento é individual, pois cada pessoa é única, portanto cada um tem uma forma específica de se alinhar, mas pode ser feito por casais também. O procedimento consiste em um análise do perfil de cada pessoa e através desta análise desenvolveremos um sistema único para que ela se harmonize. Os objetivos desta harmonização são:

- Limpeza espiritual,

- Proteção espiritual,

- Abertura de caminhos, (amor, prosperidade, trabalho, negócios, etc.)

- Equilíbrio mental e emocional

- Conhecimento de seus pontos de poder e fraquezas a serem trabalhados e a forma de trabalhar com eles.

- Conhecimento de seus dias e horários de poder para amor, prosperidade, trabalho, negócios, etc.

Este trabalho também inclui o Mapa Astral Natal e a Revolução Solar que consiste no Mapa Astral para 2012 com previsões para o ano todo.

A pessoa tendo disponibilidade de vir até nós também estaremos incluindo neste programa rituais e exercícios para abertura da terceira visão, alinhamento de chackras e despertar de poderes paranormais.



Os interessados devem entrar em contato pelo email:


ou pelo Tel: 19 3673 4546

O investimento para este trabalho é de R$ 480,00 e se vier acompanhada o acompanhante paga só metadeÉ imprescindível passar os dados natais, foto e resumo de seus problemas pessoais pelo menos com uma semana de antecedência para podermos preparar o seu Sistema Pessoal de Desenvolvimento.
Os interessados devem se apressar em marcar a sua data pois nossa agenda está curta para o final de ano, de forma que infelizmente não poderemos atender à todos.
Pax et Lux

domingo, 6 de novembro de 2011

2012 - O ano da virada!

Saudações alunos e amigos da E.I.E.!

Recentemente recebemos uma notícia muito interessante do Espírito Guardião de nosso Templo. Ele nos disse que, se estamos admirados com todas as conquistas que obtivemos com a sua ajuda até agora, ainda não vimos nada!

Disse que 2012 será o ano da Grande virada e que não haverá limites para novas conquistas. Para nós e para todos os irmãos pactuados!

Por isso, se você deseja fazer parte desta irmandade de vencedores, e começar 2012 com os portais da Riqueza e da Prosperidade abertos para você, junte-se à nós no próximo dia 26/11/11
O último ritual de Pactvm Pactorvm deste ano!
riqueza.jpg

Hoje, este chamado para mudar de vida bateu em sua porta, você pode mudar ainda que esteja cansado e desanimado. Mas, para mudar, é preciso fazer algo, se você ficar parado tudo continuará como está.
Para conquistar algo que você nunca teve, é preciso fazer algo que nunca fez.(Chico Xavier)

Maiores Detalhes:
http://www.cursosdemagia.com.br/pactumpactorum.htm


O presente é uma dádiva, o amanhã pode nunca chegar...

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Culto aos Ancestrais


Culto aos Ancestrais
As duas faces da mesma moeda
Por Sóror Fortuna

Não se tem uma data precisa do nascimento do Culto aos Ancestrais, tampouco pode-se demarcar geograficamente onde este culto teve início. Acredita-se que esta já era uma prática comum entre os Atlantes. No entanto podemos afirmar que há vestígios deste costume em praticamente todas as partes do mundo desde as épocas mais remotas. Ainda hoje o Culto aos Antepassados desempenha um papel significativo entre as mais diversas religiões. Isso não é nenhuma novidade. O que me desperta a atenção é a diferença de finalidades em que o rito é praticado e a falta de observância de alguns conceitos básicos que podem de certa forma transformar o rito em algo prejudicial à quem pratica.
A maioria das religiões orientais, como o budismo, o Taoísmo, a Perfect Liberty, a Seicho-no-ie que não é uma religião e sim uma filosofia de vida, entre outros pregam o culto aos ancestrais. O significado do culto  entre eles não é somente o de agradecer a os ancestrais, mas acima de tudo é  uma forma de se dar valor e continuidade à família. Um costume que visa lembrar os mais jovens que devem fazer sempre o melhor de si, tendo como exemplo os antepassados. Trata-se de uma maneira de forçar a evolução pessoal e dar continuidade a família através da lealdade, da moral e dos bons costumes, ou seja, manter a “honra da família”.
No Antigo Egito, assim como entre os Astecas os ritos de passagem tinham outra conotação. Celebravam-se cultos com o objetivo de ajudar o recém desencarnado a fazer a travessia entre o plano físico e espiritual. Acreditava-se que aquele que acabara de partir enfrentaria difíceis obstáculos até encontrar o local onde poderia prosseguir a sua vida no plano espiritual.
De acordo com a mitologia Azteca, Mictlan era o local para onde iam todas as pessoas que morriam de causas naturais. Mas o caminho não era fácil, antes de se apresentar aos “amorosos guardiães do submundo” o recém desencarnado deveria superar diversos obstáculos. Pedras gigantescas que rolavam de colinas, ventos,  desertos, o crocodilo Xochitonal e um caudaloso rio que o morto atravessava com a ajuda de um cão que era sacrificado no dia de seu funeral. Ao chegar, então o defunto deveria fazer oferendas aos Deuses do submundo.
Os egípcios acreditavam que após a morte o indivíduo, independente de sua classe social, perdia todas as regalias e prazeres da vida. Para ter o direito de recuperar estes benefícios em sua nova existência, a alma recém desencarnada era conduzida pelo Deus Anúbis ao tribunal de Osiris onde tinha sua vida terrestre avaliada por nada mais nada menos que quarenta e dois deuses. Para receber a aprovação das divindades era necessário que o julgado tivesse vivido uma vida pura sem cometer infrações que podem ser comparadas com os pecados do cristianismo. No ápice do julgamento Osiris pesava o coração do morto em uma balança. Se o seu coração não estivesse mais leve que uma pena, então era reprovado e tinha sua cabeça devorada pela Deusa Amnut, representada pelos três animais mais temidos no Egito: Cabeça de crocodilo e corpo com partes de leão e hipopótamo. Os aprovados viveriam para sempre no Duat, um reino similar à Terra em companhia dos Deuses.
Os Celtas davam tal importância ao culto aos antepassados, que de acordo com o calendário Celta, o ano tinha início no dia 1º de novembro, que, segundo eles, era o principal dia do ano em que o véu entre os mundos estava mais tênue, ou seja, havia uma melhor possibilidade de comunicação com o plano espiritual. Neste dia era comemorado um importante festival: Samhain – “A festa dos Mortos”.  No entanto, é importante lembrar que os Celtas, não evocavam os espíritos de seus ancestrais e nem lhes faziam qualquer tipo de pedido, apenas lhe enviavam boas energias e votos de felicidade.
Os antigos nórdicos, levavam ao extremo sua crença de que depois de mortos deveriam passar por diversas provas antes de alcançar o local onde seriam recebidos pelos Deuses para continuar suas existências que quando morriam, a família sacrificava serviçais para acompanhá-los e ajudá-los a fazer a travessia.
O Heimskringla narra sobre o rei sueco Aun , que sacrificou nove filhos num esforço para prolongar sua vida até que seus súdidos o impediram de matar Egil, seu último filho.

De acordo com Adão de Bremem, os reis suecos sacrificavam escravos homens a cada nove anos durante o Yule, no Templo de Uppsala. Os suecos tinham o direito de eleger e depor seus reis. Conta-se que o rei Domalde e o rei Olof Trätälja foram sacrificados.
Odin, o pai dos Deuses do Panteão nórdico era associado à morte por enforcamento. Uma possível prática de sacrifícios odínicos através do enforcamento encontra apoio nas evidências arqueológicas - como os corpos perfeitamente conservados pelo ambiente ácido dos pântanos de Turfa da Jutlândia, no qual  as vitímas teriam sido jogadas após executadas. Um dos mais notórios exemplos é o Homem de Tolluind, da Idade do Bronze. No entanto não existem relatos escritos que interpretem de maneira explicita a causa destes estrangulamentos, de forma que podem ter outras explicações  - como uma forma de pena capital.


Ente os povos pagãos e as religiões xamânicas percebe-se um grande respeito pelos espíritos ancestrais que jamais são desrespeitados. De uma forma geral podemos dizer que estes povos somente pedem ajuda para seus ancestrais em momentos de dificuldades onde necessitam de sabedoria e coragem. Neste caso, o Xamã ou chefe espiritual da tribo realizava um ritual para evocar o espírito de seu antecessor ou do ancião mais sábio de sua comunidade.
Na maioria das religiões Afros o culto aos Antepassados existe. Eles são considerados como mensageiros entre os homens e o poder divino, como os Orixás ou Loas do Vodu. Por isso as entidades da Umbanda da linha de Pretos Velhos  se apresentam como, Pais, Mães, Avós, porque provavelmente durante suas existências físicas eram anciões sábios de suas tribos. Uma Preta Velha me contou certa vez que seus netos foram trazidos para o Brasil como escravos. E, quando estavam aflitos na senzala sempre a evocavam pedindo ajuda e foi desta forma que ela começou a trabalhar. Primeiro dentro da própria senzala na cidade de Ouro Preto e agora continua sua missão espiritual nos terreiros de Umbanda.
Estes são apenas alguns exemplos de uma tradição que vem sido preservada pela  humanidade desde os tempos mais remotos. No entanto nos dias atuais podemos notar que o culto tem tomado um vulto um tanto diferenciado onde a emoção e o sentimentalismo daqueles que perderam seus entes queridos podem transformar a prática em um “Culto ao morto” de forma errônea que pode prejudicar tanto aqueles que o praticam quanto os entes desencarnados que muitas vezes ao invés de receber vibrações de gratidão e afeto são bombardeados com lágrimas, lamentações e pedidos de ajuda. É errado acreditar que nossos entes queridos simplesmente por estarem desencarnados podem nos ajudar. A morte deve ser encarada como uma continuação evolutiva desta vida. O fato de desencarnar não nos transforma em anjos ou iluminados dominadores de todos os conhecimentos presentes e futuros. Tais pedidos de ajuda e lamentações direcionados à espíritos recém desencarnados pode causar-lhes sofrimentos e prender-lhes ao último ego de existência atrasando-lhes a evolução. Existe ainda a possibilidade do cultuador estar alimentando cascões astrais que passarão a vampirizar-lhe e aos que lhe rodeiam com o objetivo de se alimentar energeticamente e manter-se vivo.
O REIYUKAI é um exemplo de culto ao ancestral ao meu ponto de vista totalmente errôneo. Ele ensina a pessoa a criar um altar dentro de sua casa onde diariamente se evoca através da água, que é o principal meio de comunicação com o plano espiritual e do Ar, utilizando-se de incensos a presença de seus ancestrais e amigos queridos que partiram para a outra vida. Acreditam que com esta prática estão alegrando seus antepassados. Isto não é uma prática saudável, agindo desta forma estaremos prendendo o espírito à este plano do qual ele já não faz parte. Não podemos atar nossos entes desencarnados a nós, isso não é amor, é possessão. É uma forma de obrigá-los a preencher o vazio que a falta deles nos faz. É preciso deixá-los partir para que possam evoluir em paz e acreditar que a hora do reencontro chegará no devido momento.
Tampouco é certo quando perdemos um ente querido, continuar a agir como se ele ainda estivesse entre nós, mantendo seus objetos intactos na casa e conversando mentalmente ou com fotografias da pessoa desencarnada. Quando uma pessoa se vai precisamos nos desfazer de suas roupas e objetos doando seus pertences. Desta forma sua energia restante neste plano não ficará estagnada e não tomará forma vindo a vampirizar os membros da família.
Outro erro que podemos observar entre os Umbandistas é o fato de acreditarem-se responsáveis por seus antepassados e assumirem seus erros. Nós não podemos assumir os erros de outras pessoas ou ser culpadas por seus atos. Podemos ser-lhes gratos, enviar-lhes vibrações de luz, amor e sabedoria. No entanto cada um de nós é responsável por seus próprios atos. Cada vive a sua própria vida e por isso não podemos e nem devemos atrair o carma alheio para nós, mesmo porque, a parte que nos cabe já nos foi entregue através da ancestralidade.
Sim, o karma coletivo existe! Karmas familiares, de cidades, países e povos. Estamos no lugar certo e no momento exato. Se este carma existe, é sinal de que já estamos pagando pelos erros de nossos antepassados e portanto não temos que redimi-los duplamente. Cada um que cumpra o seu papel, pois é só através deste exercício é que o ser humano cresce espiritualmente. Quando dividimos o Karma de outro, pensando estarmos fazendo o bem, estamos prejudicando-o por atrasar o seu processo de evolução espiritual e portanto gerando mais Karma.
Á esta altura, a única conclusão que posso chegar é que a Igreja Católica Romana adotou a melhor forma de Culto aos Ancestrais instituindo um dia no ano em que a família visita o ente querido em sua última morada, isto, levando em conta que a maioria das pessoas não tem conhecimento e entendimento que nós ocultistas possuímos do plano astral e das entidades que o povoam - pois desta forma, estarão reduzindo o perigo de se atrair um cascão astral ou até mesmo um espírito de um ente desencarnado para dentro de casa. É importante lembrar que no Universo só há fome. Qualquer ser precisa de energia para sobreviver, e é por isso, que os seres desencarnados, estando em nosso plano, sem um corpo físico para suprir suas necessidades tem por obrigatoriedade que sugar suas energias de alguma fonte viva. Vale ainda lembrar que ainda assim, corre-se o risco de que uma entidade o acompanhe até a sua moradia, por isso, os banhos de ervas e rituais de banimento são recomendáveis após as visitas ao cemitério.
Os pagãos e pessoas mais esclarecidas espiritualmente possuem outras práticas de culto aos ancestrais. Alguns queimam seus nomes no caldeirão na noite de Samhain, outros oferecem-lhes presentes e comidas, isso de acordo com a cultura de cada um. O mais importante é ter em mente que as vibrações devem ser sempre positivas sem nenhuma conotação de sofrimento.

A crença generalizada na existência da morte, como aniquilação individual, fez sumir a visão de longo prazo e afetou o planeta inteiro. Não se prepara mais o futuro, apenas se vive em busca de prazeres e desejos pessoais do ego. O capitalismo é uma forma de vida geradora de desejos. O homem está destruindo o planeta e a si mesmo. Definitivamente não há morte como a concebemos. A morte existe apenas porque não se sabe o que a vida é, porque ainda estamos inconscientes da vida, da sua ausência de morte.

Assim os que perguntam o que acontece após a morte o fazem por não lhes ter acontecido nada durante a vida. É necessário um nascimento espiritual, para que a Vida nos permeie em sua abundância. Quando se conhece a Vida, se conhece a morte. A morte é apenas uma transição de um estado de consciência para outro, e a única coisa que morre é a morte. A morte é apenas uma PASSAGEM. E essa passagem deve ser o triunfo de uma existência, seu mais glorioso momento.
 
A vida é aquilo que acontece enquanto fazemos planos para o futuro.
John Lennon (1.940-1.980)



segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Hoje é o nosso dia comemore com sua família!

SAMHAIN - HALLOWEEN OU DIA DAS BRUXAS (31/10)

Sempre nesta época do ano ouço falar sobre o "Dia das Bruxas" como uma data folclórica, como se as bruxas não existissem ou estivessem muito distante... O Halloween se tornou somente um dia para vestir fantasias. Isso é triste, pois o significado místico  deste dia é muito importante e deve ser respeitado. É nosso dever, como bruxas resgatar este sentido e concientizar nossas crianças e familiares da importância de se harmonizar com a Grande Mãe, Gaia, a Mãe Natureza, e entender os seus ciclos, pois eles refletem diretamente em nós, em nosso corpo físico, na mente consciente e no inconsciente. Quando alcançamos este estado de harmonia com o planeta, deixamos de estar vivendo nele e passamos a ser parte dele e de todo Universo. Este estado de SER é puro êxtase manifestado na Encarnação. É o real sentido da existência física e através dele todo e qualquer sofrimento desaparece e a vida se transforma em felicidade plena. Este é o estado de Iluminação buscado pelos religiosos. Mas, enqusnto Monges se enclausuram em busca da paz de espírito, os pagãos se unem com o todo, pois sabem que a separação é uma ilusão. Não existe nem tu e nem eu, somente nós, pois juntos somos UM!
Este é o mais importante de todos os festivais, pois, dentro do círculo, marca tanto o fim como o início de um novo ano. Nesta noite, o véu entre o nosso mundo e o mundo dos mortos se torna mais tênue, sendo o tempo ideal para nos comunicarmos com os nossos entes queridos que já partiram com a finalidade de lhes enviar mensagens de amor e harmonia.  A noite do Samhain , é uma noite de alegria e festa, pois marca o início de um novo período em nossas vidas, sendo comemorado com muito ponche, bolos e doces. A cor do Sabbat é o negro, sendo o altar adornado com maçã, o símbolo da Vida Eterna. O Vinho é substituído pela cidra ou pelo suco de maçã. Deve-se fazer muitas brincadeiras, com dança e música. Os nomes das pessoas que já se foram são queimadas no Caldeirão, mas nunca com uma conotação de tristeza! No Altar e nos quadrantes não deve faltar as tradicionais máscaras de abóboras com vela dentro. Antigamente as pessoas colocavam essas abóboras na janela para espantar os maus espíritos e os duendes que vagavam pela noite do Samhain . Esta palavra significa "sem luz", pois, nessa noite, o Deus morreu e o mundo mergulha na escuridão. A Deusa vai ao Mundo das Sombras em busca do seu amado, que está esperando para nascer. Eles se amam, e , desse amor, a semente da luz espera no útero da Mãe, para renascer no próximo Solstício de Inverno como a Criança da Promessa. A Roda continua a girar para sempre. Assim, não há motivos para tristezas, pois aqueles que perdemos nessa vida irão renascer, e, um dia, nos encontraremos novamente, nessa jornada infinita da evolução.
Aqueles que seguem a roda do sul estarão comemorando esta noite o Beltane.
BELTANE - A FOGUEIRA DE BELENOS - FESTA DA PRIMAVERA (01/05)
O mais alegre e festivo de todos os Sabbats, o Deus e a Deusa se unem apaixonados. A Deusa se apresenta como a Virgem e é chamada a "Rainha de Maio" Em Beltane se comemora o amor que deu origem à todas as coisas do Universo. Em Beltane se ascendem duas fogueiras, pois é costume passar entre elas para se livrar de todas as doenças e energias negativas. Se não houver espaço pode se usar duas velas ou duas tochas. Uma das mais belas tradições de Beltane é o Maypole. Trata-se de um mastro enfeitado com fitas coloridas. Durante o ritual, cada membro escolhe uma fita de sua cor preferida ou ligada a um desejo. Todos devem girar trançando as fitas, como se estivessem tecendo seu próprio destino, colocando-nos sob a proteção dos Deuses. É uma tradição Wiccana jamais se casar em maio, pois este é o mês dedicado ao casamento do Deus e da Deusa.
Candlemas, Beltane, Lammas e Samhain são Grandes Sabbats, enquanto os Solstícios e Equinócios são pequenos Sabbats.
"Datas dos festivais para o  Hemisfério Sul"
-Lammas: 02/02
- Mabon: 21/03
- Samhain:01/05
 - Yule: 21/06
- Candlemas: 01/08
- Ostara: 21/09
- Beltane: 31/10
- Litha: 21/12
Saiba mais:

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Aviso Importante!

Atenção pessoal;

Para podermos atender à todos de forma mais eficaz tivemos que fazer pequenas alterações em nossa agenda a fim de conciliar todos os compromissos.
O próximo e último ritual de Pactum Pactorum do ano passou do dia 19/11 para o dia
26/11


riqueza.jpg

Detalhes:
O Próximo Curso Presencial de Goetia será no dia 03/12/2011.

curso presencial de goetia


Curso prático com a realização de 2 rituais evocatórios, sendo um Angelical sobre o Almadel e outro onde evocaremos o Daemon Clauneck e todos terão a oportunidade de contatar-se com ele e pedir-lhe favores na área financeira.
Clauneck atende rápidamente pedidos relacionados aos negócios e processos judiciais.
Seja bem vindos!

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Material Gratuito

Grande Dicionário de Ciências Ocultas, Alquimia e Demonologia
É realmente um manual que todo Magista ou estudante de magia deve possuir. Trata-se de um trabalho de anos de pesquisa nas mais diversas fontes, incluindo antigos grimórios e manuscritos da inquisição. Muito mais que um simples dicionário é um manual e livro de História da Magia contando todos os fatos importantes que nossos antepassados bruxos e magos passaram para deixar-nos os conhecimentos que recebemos hoje de forma tão simples e confortável que muitas vezes não damos o valor merecido.
São 311 páginas no formato A4 que equivale a um livro de 622 páginas essenciais para o bom desenvolvimento nas Artes Mágickas. Este material esta de fato muito interessante.
ATENÇÃO:
Para acessar este dicionário você precisa se cadastrar no site http://www.cursosdemagia.com.br/cursos e em seguida enviar um e-mail para: cursosdemagia@cursosdemagia.com.br informando o seu nome e e-mail cadastrado e solicitando a liberação da sala.
Seja bem vindo!

Mictlantecuhtli e Mictecacihuatl

Mictlantecuhtli e Mictecacihuatl
O Senhor e a Senhora de Mictlan, 
a região dos mortos.

Mictecacihuatl


De acordo com a mitologia Azteca Mictlan era o local para onde iam todas as pessoas que morriam de causas naturais. Mas o caminho não era fácil, antes de se apresentar aos “amorosos guardiães do submundo” o recém desencarnado deveria superar diversos obstáculos. Pedras gigantescas que rolavam de colinas, ventos,  desertos, o crocodilo Xochitonal e um caudaloso rio que o morto atravessava com a ajuda de um cão que era sacrificado no dia de seu funeral. Ao chegar, então o defunto deveria fazer oferendas aos Deuses do submundo.
Mictlantecuhtli e Mictecacihuatl foram sem dúvidas as deidades às quais se encomendavam as almas dos mortos, mas também eram invocadas por aqueles que desejavam o poder da morte. O templo dos Senhores da Morte se encontrava no centro cerimonial da  antiga cidade de Tenochtitlan no México, seu nome era Tlalxico que significa “Umbigo da Terra”, ali se encontravam fileiras de crâneos.
Mictlantecuhtli
Haviam outras representações da Morte. O Tzompantli por exemplo era um aparato feito de estacas  onde se colocavam crâneos e formavam grandes fileiras. O Tzompantli assemelhava-se à um ábaco. Eram encontrados nos grandes templos do México antigo e eram considerados como uma parte importante do culto  não só dos sacerdotes, mas também de gente comum. Além dos Tzompantlis tão conhecidos e famosos também existiam diferentes representações da morte, quase sempre como figuras de caveiras entalhadas em pedra, barro ou belamente pintadas nos livros antigos chamados códices.
Foram encontradas também caveiras humanas adornadas com colares e conchas no lugar dos olhos. Os especialistas não chegaram a um acordo sobre o significado destas caveiras, mas supõe-se que tratam-s de oferendas aos senhores da morte. Por toda parte no México, onde há rastros de morte, estão os adornos da Deusa Coatlicue, nas oferendas, incensários, rituais e  em figuras de todo tipo e tamanho.
Tzompantli: Os guerreiros inimigos capturados em batalhas pelos Aztecas eram decaptados e suas cabeças cravadas em lanças formando um muro.


Tudo isso nos indica que houve um culto muito forte à Morte entre os antigos mexicanos e isso sem levar em conta os Mayas, os Tarascos e os Totonacos que também cultuaram à Morte mui amplamente. (continua...)




La Santa Muerte

“Muerte querida de mi corazón, no me desampares com tu protección.   


*
Jesuscristo vencedor, que em La cruz fuiste vencido, vence a (fulano) que está vencido conmigo; em nombre del Señor, manso como um cordero, manso como uma flor de Romero, tienes que venir, pan comiste, de El me diste; quiero que me traigas (fulano) por La palabra mas fuerte que me dijiste, quiero que venga a mi humillado; rendido a mis plantas llegue a cumplirme lo que me há ofrecido; así como creó señor no me será imposible  te suplico encarecidamente, me concedas esto que te pido com esta novena, prometiéndote ser tu mas fiel devoto hasta El fin de mi vida. Amén.


*

      Ultimamente muito se tem falado sobre o culto renascido no México da Santa Muerte. Sim renascido, não se trata de um culto novo porque desde a antiguidade os povos pagãos sempre cultuaram Deuses que representavam a Morte de uma forma muito respeitosa e sem nenhum tipo de preconceito tal qual a “Santa Muerte” vem enfretando.
O culto da Morte existe no México há mais de três mil anos. Os povos antigos que ali habitavam concebiam a Morte como necessária e comum à todos os seres da Natureza. Acreditavam que os ciclos naturais como o dia e a noite ou as mudanças de estações eram equivalentes à vida e à morte. Foram encontradas em território mexicano figuras gravadas em barro que datam desta época representando  a vida e a morte com figuras humanas encarnadas pela metade, representando a dualidade entre a vida e a morte, mostrando o que se há por dentro. Acredita-se que à partir daí espalhou-se por toda a região que hoje é o México a cultura entre os diversos povos que ali habitavam, entre eles podemos citar:  mayas, zapotecos, mixtecos, totonacas entre outros.
Mas, os Aztecas foram os que aderiram mais fortermente ao culto da morte, levando sua devoção aos extremos. (continua...) 



sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Energias - perguntas e respostas aos nossos estudantes


Estudante: Frater, no curso básico de magia, módulo 2, encontramos as energias que permeiam toda a criação: Os cinco elementos, A Fohat, Kundalini e o Prana. Quando estive em Tambaú você me falou que é possível doar o elemento akasha aos elementais fortalecendo esses seres e ajudando em sua evolução?


FM:  Eu não disse que é possível doar elemento akasha, eu disse que os elementais perseguem o entendimento ou a compreensão da quintessência, já que eles reinam de forma absoluta, cada qual em seu elemento de origem.

Estudante: De que forma isso é feito? Simplesmente pela vontade? Por algum ritual?

FM: Isso é feito pelo próprio trabalho mágicko do magista sério e conhecedor dos mistérios. Não existe trabalho mágicko possível sem a ação harmoniosa dos elementais. Sem estar o mago em perfeito equilíbrio com os elementos. 

Estudante:  O Homem é um ser completo... Os Demônios também são?

FM: Eu não diria que o homem é um ser completo, eu diria que ele é um ser complexo, sendo ele parte do Todo em essência. Os demônios não podem estabelecer graus de comparação ao homem, porque como eles atuam e vivem na 4ª dimensão ou plano astral, sua visão do universo, portanto, é quadrimensional, enquanto a do homem é apenas tridimensional. Eles estão à parte do nosso plano evolutivo porém, atuam na esfera tridimensional através das estruturas anímicas do ser humano. Contudo, não estão à parte do Todo e obviamente tem suas funções a eles atribuídas no contexto universal. Porém, como inteligências extrafísicas eles não pensam ou raciocinam como um ser humano. 

Estudante: É possível fortalecer um ser dessa classe da mesma maneira que podemos fortalecer um elemental?

FM: Antes é preciso esclarecermos o que seria esse "fortalecer". Você não fortalece um elemental em poder, ele é senhor absoluto do seu reino, e compreender a quintessência, a proximidade com o ser humano, podem lhe dar um entendimento e a vontade de servir ao mago pode lhe gerar resquícios dessa humanidade que ele procura. Isso poderia diferenciá-lo dentre um número infinito de seres que habitam seu elemento. Poderia até mesmo aproximá-lo da mônada interferindo em seu processo evolutivo, gerando características humanas nesse ser, que pode inclusive ser ajudado pelo mago, no campo astral, quando este tiver feito a transição. Já os demônios não estão na verdade em busca dessa nossa essência, e a bem da verdade, muitos até mesmo a desprezam. Eles já têm seus atributos e afazeres sem ter que se preocupar com a satisfação dos desejos mundanos. Entretanto, o mago, quando possui autoridade espiritual podem obrigá-los ao trabalho mágicko e ao final, esses poderão ser beneficiados com um suprimento de energia que eles assimilam do mago. Na verdade, falando de universo, tudo é uma troca, e como eu costumo dizer, só a fome no universo. O mago sabe muito bem, que em qualquer trabalho mágicko que realizar, ele estará doando parte de sua energia vital, ou bioenergia. E aí estará o perigo para os despreparados que podem muito bem atrair larvas astrais para se banquetearem com energias que estarão ali livremente oferecidas pelo pretenso magista. 

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Agares - Mera coincidência?


O segundo espírito da Goetia é um duque chamado Agreas, Agaros, ou Agares. Está sob a potência do leste e aparece na forma de um homem velho e pálido montando  um crocodilo e trazendo um falcão atado ao punho, no entanto revela-se suave na aparência. 
Tem o poder de percorrer rapidamente grandes distancias e retornar quando requisitado. Ensina todas as línguas ou dialetos presentemente.  Destrói dignidades temporais e espirituais. Também é conhecido como senhor dos terremotos por possuir o poder de causar  tremores sísmicos. 
Diz que pertencia à ordem das Virtudes e comanda 31 legiões de espíritos. 

Período: 31/03-09/04
Astros: Marte
Metal: Cobre
Elemento: Terra
Cor: Vermelho
Hierarquia: Duque
Incenso: Mirra
Direção: Oeste

*Pesquisamos a influência deste espírito sobre a humanidade e descobrimos que dia 31/03 é uma data crítica que ocorre grandes abalos sísmicos em todas as partes do mundo.

Será mera coincidência?

Este fragmento de texto foi retirado do curso presencial de Goetia da E.I.E. Caminhos da Tradição.



terça-feira, 30 de agosto de 2011

Os sábios não julgam...



            Havia  em uma aldeia um velho muito pobre, mas até reis o invejavam, pois ele tinha um belíssimo cavalo branco... Reis ofereciam quantias fabulosas pelo garanhão, mas o homem dizia: Este animal não é um cavalo para mim; é uma pessoa. E como se pode vender uma pessoa, um amigo? O homem era pobre, mas jamais vendeu o cavalo. Numa manhã, descobriu que o cavalo não estava na cocheira. A aldeia inteira se reuniu e disseram:
- Seu velho estúpido! Sabíamos que um dia o cavalo seria roubado. Teria sido melhor vende-lo. Que desgraça!
O velho disse:
- Não cheguem a tanto. Simplesmente digam que o cavalo não está na cocheira. Este é o fato, o resto é julgamento. Se trata-se de uma desgraça ou de um benção, não sei, porque este é apenas um julgamento. Quem pode saber o que vai se seguir?
As pessoas riram do velho. Elas sempre pensaram que ele era um pouco louco. Mas, quinze dias depois, de repente, numa noite, o garanhão voltou. Não havia sido roubado, havia fugido para a floresta. E não apenas isso: ele trouxera uma dúzia de cavalos selvagens consigo.
Novamente as pessoas se reuniram e disseram:
- Velho você estava certo! Não se trata de uma desgraça, na verdade provou ser uma bênção.
O velho disse:
- Vocês estão se adiantando mais uma vez. Apenas digam que o cavalo está de volta... Quem sabe se é uma bênção ou não? Este é apenas um fragmento. Você lê apenas uma única palavra de uma sentença – como pode julgar todo o livro? Desta vez, as pessoas não podiam dizer muito, mas interiormente achavam que o velho estava errado. Doze lindos cavalos tinham vindo...
O velho tinha um único filho, que começou a treinar os cavalos selvagens. Apenas uma semana mais tarde o filho caiu de um cavalo e fraturou as pernas. As pessoas se reuniram e mais uma vez julgaram. Elas disseram:
- Você tinha razão novamente, foi uma desgraça. Seu único filho perdeu o uso das pernas, e ele era o arrimo de sua velhice. Agora você está mais pobre do que nunca.
O velho disse:
 - Vocês estão obcecados por julgamento. Não se adiantem tanto. Digam somente que meu filho fraturou as pernas. Ninguém sabe se isso é uma desgraça ou uma bênção. A vida vem em fragmentos, mais que isso nunca é dado. Aconteceu que depois de algumas semanas o país entrou em guerra e todos os jovens da aldeia foram forçados a se alistar. Somente o filho do velho foi deixado para trás, pois se recuperava das fraturas. A cidade inteira estava chorando, lamentando porque aquela era uma luta perdida e sabiam que a maior parte dos jovens jamais voltaria. Então eles vieram até o velho e disseram:
- você tinha razão velho, aquilo se revelou uma bênção. Seu filho pode estar aleijado, mas está com você. E nossos filhos foram-se para sempre...
O velho disse: - Vocês continuam julgando. Ninguém sabe! Digam apenas que seus filhos foram obrigados a entrar para o exército e que o meu filho não foi. Mas somente Deus sabe se isto é uma bênção ou uma desgraça. Não julguem porque desta maneira retardarão a sua união com a Divindade. Vocês ficarão obcecados com fragmentos, pularão para as conclusões a partir de coisas pequenas. Quando alguém julga deixa de crescer. O julgamento significa um estado mental estagnado. E a mente deseja julgar porque estar em um processo é sempre arriscado e desconfortável. Na verdade a jornada nunca chega ao fim. Um caminho termina e outro começa; uma porta se fecha e outra se abre. Quando você atinge um pico sempre existirá outro ainda mais alto. Aqueles que não julgam estão satisfeitos simplesmente em viver o momento presente e nele crescer... Somente estes são capazes de caminhar com Deus.

                                                             Autor desconhecido.