sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Por que se eu tenho o dom da cura, só faço o bem, minha vida é desastrosa?


Por Francisco Marengo

Possivelmente o que vou lhe falar, chocará num primeiro instante e logo em seguida, você vendo os acontecimentos ruins em  sua vida e reflexivamente com outras pessoas sua volta, começará a compreender. Todas essas modalidades de cura, inclusive o próprio espiritismo em suas modalidades de passes magnéticos e invocação de falecidos, processos de desobsessão, são extremamente perigosos e perniciosos para o ser humano quando há falta de compreensão da fenomenologia esotérica e seus limites.
Note que o ser humano tem um tônus vital que o mantém vivo, que poderíamos chamar de energia vital. Essa energia vital é gerada através de absorção do Prana (força solar) e da Kundalini (força motriz que impulsiona a vida e flui do centro da terra) através dos chakras no 2º corpo mais denso chamado de corpo etérico ou duplo etérico e serve para irrigar de energia ao 1º e mais denso corpo, ou seja, o corpo físico, motivado emocionalmente pelo 3º corpo mais denso - o corpo astral ou veículo das emoções. Essa energia vital não tem a função única de irrigar o corpo físico para a manutenção da vida, essa energia vital é também empregada em tudo em nossa vida, nos relacionamentos, no trabalho, enfim em tudo.
Quando a pessoa começa a fazer uso de práticas bioenergéticas, passes magnéticos, e outros quetais, ela automaticamente drena de sua própria energia ou tônus vital para transmitir a uma terceira pessoa. Note que a ocorrência mais comum nos terreiros e centros espíritas é o indivíduo "tomador de passe". Ele vai, retorna de novo, e de novo, e vai de novo, já tal como um viciado em drogas, que se habitua a drenar energia alheia para viver, ou sobreviver. Se isso lhe faltar, sua constituição anímica cuidará de drenar energia alheia das pessoas que estão a sua volta, sem que essa o saiba. É normal que pessoas sensitivas sintam um peso quando perto desses indivíduos, e daí dizem erradamente que o indivíduo está "carregado" quando na verdade ele está sim "se carregando" ou drenando sua energia, o que gera a vítima cansaço, bocejos, dores de cabeça, etc. Está aí criado o "vampiro energético inconsciente".
E o processo além de ser errado, vai mais longe. Todas as pessoas estão presas sob o que chamamos de Círculo Kármico ou Roda de Samsara. Este círculo existe para que a pessoa possa aprender, ou seja, se imaginarmos uma escola primária, o aluno repetente refaz o ano, até se defrontar com aquela matéria que teve dificuldade, e daí é por conta dele, ou ele a aprende por seu próprio esforço, ou ele retornará novamente. De repente, chega alguém e lhe permite a cola, e aquele indivíduo, passará a ser incompleto, pois nunca de fato conseguiu aprender aquela matéria. Note que essa metáfora do estudante explica exatamente o que acontece na vida da pessoa que precisa aprender por seus próprios meios a se curar, em especial a se reenergizar.
Então, a grosso modo, nos passes mediúnicos, além de você dividir o karma alheio sem o saber, ainda estará contribuindo para criação de vampiros energéticos. Os passes e até  mesmo as curas espirituais, até podem ser usados, mas em condições extremas, muito especiais, e não tolamente em qualquer indivíduo.
Por que estou falando tudo isso? Simples, porque tenho um exemplo bastante forte de quão é pernicioso curar as pessoas ou transmitir-lhes tônus vital. Esse exemplo sou eu mesmo, que dos 19 aos 27 anos entre muitas outras coisas, fazia curas espirituais coroadas de sucesso de forma incansável e semanal, porém, trazendo resultados ruins para minha vida, em função de tudo isso que citei. E note que tinha 33 médiuns me acompanhando, entre eles médicos, etc., e minha vida mesmo assim virou um inferno, uma pelo grande número de pessoas que me procuravam, a qualquer hora do dia e da noite, mesmo tendo dia e data para os eventos de cura, e outra porque profissionalmente nada dava certo, e esse é preço por querer "dar o peixe sem ensinar os outros a pescarem". E quantos por aí não vivenciam o mesmo problema?
Se não bastasse isso, tecnicamente falando, são necessárias 72 horas para repor o nosso tônus vital, depois de uma noite de passes espirituais, sem falar que nesses ambientes repletos de pessoas despreparadas e sem conhecimento mais profundo de energias, abundam larvas astrais e outros seres que se banqueteiam festivamente a custa dos ingênuos. Só há fome no Universo.
Isto sem falar, que conforme eu disse antes é o corpo das emoções que motiva a vida, e nos impulsiona para frente. Porém, quando a pessoa experimenta, já bem influenciada por maus espíritos, sintomas de depressão, desânimo, culpa, ódio, e demais sentimentos ligados ao ego inferior (egoísmo, egocentrismo, etc.) ela desequilibra seus chakras e abre brechas em sua aura energética permitindo-se ser vampirizada.
Sua estrutura anímica, nesse caso, estará poluída por seres desde os menos esclarecidos, aos mal intencionados, que fazem da sua vida um verdadeiro inferno mental e astral, sem o que ainda prejudicam o seu relacionamento, sua vida, seu trabalho, pois transformam um copo d' água num furacão.
Este ensaio serve para lhe dar um alerta, pois muitos estudantes do oculto com esses modismos mal fundamentados, além de pegar o trem errado ainda o pegam na direção errada. Aqui na E.I.E.  nós trabalhamos com a Tradição Esotérica, como o nome sugere, uma Tradição milenar, de modo que não precisamos inventar a roda, para atribuir-lhe outro nome, quando ela já existe a milênios. Muitos se encantam porque acham que é bonitinho dar passes e tirar dor de cabeça. Porém, não têm consciência daquilo que deflagram de forma não intencional e desastrosa em suas vidas, além de atraírem processos de magia contrária que só são diligentemente desmanchados pelo Mago que se prepara para isso por anos a fio, através de práticas espirituais desde as mais brandas, até as mais severas.


7 comentários:

Carlos Mattiodi disse...

Se o caminho espiritual de pessoas que realizam cura é errado, por transformar a vida de tais médiuns em uma vida com problemas diversos? qual é o exato meio de trabalhar tais casos?
e o que o sr diz a respeito de pessoas que realizam tais processos e se conseguem ter vidas maravilhosas?

Anônimo disse...

ola, eu tive uma artrite septica quando era mais novo,o que ocasionou uma reduçao no meu femur direito, existe algum ritual para recuperar essa diferença?
muito obrigado
patrik182rodrigues@hotmail.com

bruno disse...

gostaria de saber até que ponto pode-se minimizar ou mesmo cessar essa perda enérgica quando auxiliado pela egrégora da casa (no caso de umbanda) e pelas entidades incorporadas ou auxiliando o médium

grato.

bruno disse...

gostaria de saber até que ponto pode-se minimizar ou mesmo cessar a perda enérgica quando realizada através da egrégora da casa (de umbanda no caso) e com o auxílio de entidades incorporadas ou auxiliares.

grato.

Anônimo disse...

Gostaria de saber se é possível a cura da Aids, e o que devo fazer.
Paulo

Francisco Marengo (Frater Magister) disse...

Não me consta que pessoas que fazem cura espiritual tenham vidas maravilhosas, senão vidas sofridas e inúmeros problemas de ordem material.

Anônimo disse...

Concordo com o que você diz, eu mesma sou prova disso. Frequentei como médium alguns centros kardecistas, mas nunca consegui me fixar em nenhum por mais de um ano, e minha vida nunca foi um mar de rosas nesses períodos. A maior parte das informações que tenho sobre a espiritualidade,foram obtidas através de conversa com um ser espiritual que me acompanha ou em leituras, inclusive esse mesmo ser espiritual nunca me disse que eu teria que frequentar um centro espírita, ou uma igreja, ou um templo. Certa vez eu estava visitando um centro espírita kardecista em Minas Gerais, no qual ministravam-se passes coletivos e, uma senhora me chamou 'a parte e me disse que eu tinha uma bela mediunidade, mas que jamais precisaria ministrar passes como de costume, que onde quer que eu estivesse não precisaria mexer um músculo para dar auxílio espiritual, que isso seria acionado conjuntamente com a Espiritualidade Maior. Confesso que senti e, vi isso acontecer muitas vezes, sem eu precisar me identificar mas sabendo a quem estava sendo direcionado o atendimento. E, como você bem diz é uma situação peculiar, em que a gente sente que existe um certo comando de seres de outra esfera espiritual muito difícil de explicar. Um Grande Abraço.